Hoje é o Dia Internacional do Gamer

Como os leitores deste site sabem, temos uma seção “Datas Curiosas”. Portanto, vamos ao inusitado do calendário deste vigésimo nono dia do mês oito. Hoje, 29 de agosto, é o Dia Internacional do Gamer. Em 29 de agosto de 2008, um grupo de revistas espanholas especializadas em games criou a data para parabenizar todos os aficionados por jogos eletrônicos. E olha que tem gente à beça que curte os diversos tipos de videogames.

A data é bastante democrática, pois independentemente do console, plataforma ou qualquer tipo, amamos games. Seja como pilotos de prova, corridas, aviões ou espaçonaves; lutadores, soldados, jogadores de futebol; no combate hordas à de aliens, indo de castelo em castelo em busca de uma princesa, atirando nos barris vermelhos para explodir tudo, assassinando todo o panteão do Olimpo ou pulando de estruturas extremamente altas esperando que um monte de palha amorteça a queda.

Para ser um gamer basta curtir jogos eletrônicos; esse passatempo fantástico. Tanto faz se em frente à televisão, monitor do PC ou celular, a gente ama jogar. Uns mais que os outros, é verdade. Alguns defendem a tese de que os jogos estimulam habilidades intelectuais. Será? Pode ser, se aliada a leitura e demais formas da construção cultural do ser humano.

De jogo em jogo, desde os tempos das fichas de fliperama, Atari, Mega-Drive, Super-Nitendo, Playstation 1,2,3, etc…aprendi muito. Aliado a um tufão de sentimentos que vão desde a satisfação da vitória ou de zerar o jogo, até a frustração da derrota ou perda de várias vidas em uma única fase.

Hoje em dia, sou um gamer casual, apesar de todos os dias jogar pelo menos meia hora no celular. Mas tenho muitos amigos viciadíssimos, como o Fausto Suzuki e o Cid Nascimento.

Portanto, este é um dia de celebração para essa sensacional cultura midiática do entretenimento.

Agora, convenhamos, o mundo dos videogames é mesmo fascinante. Sabe lá Deus quantos livros e filmes legais deixei de ler ou assistir por conta deste vício.

Certa vez, em 2010, escrevi a crônica “Até quando jogaremos videogame?”. Tenho certeza que a resposta é “forever”.

Parabéns aos mais de 1,2 bilhões de gamers de todo mundo. Vocês transformam esta indústria na mais lucrativa do ramo de entretenimento. Em segundo lugar vem o cinema.

Fontes: EuroGamer, PlayStationBlog e History.

Elton Tavares

Música de agora: Thunderstruck (Atordoado) – AC/DC

Thunderstruck (Atordoado) – AC/DC

Trovão
Trovão
Trovão
Trovão
Trovão
Trovão
Trovão
Trovão
Trovão
Trovão

Eu fui pego
No meio de uma ferrovia (trovão)
Olhei ao redor
E sabia que não havia volta (trovão)
Minha mente acelerou
E pensei no que poderia fazer (trovão)
E eu sabia
Que não tinha ajuda, nenhuma ajuda sua (trovão)

O som dos tambores
Batendo em meu coração
O trovão das armas
Me rasgou em pedaços
Você ficou atordoado

Fomos pela estrada
Rompemos o limite, nós chegamos à cidade
Fomos para o Texas, sim, Texas
E tivemos alguma diversão divertimos
Conhecemos algumas garotas
Umas dançarinas que nos deram um tempo de diversão
Violamos todas as regras, fizemos todos de bobos
Sim, sim, elas, elas, elas confundiram a nossa mente

Meus joelhos estavam tremendo
Por favor, eu poderia voltar novamente?
Sim, as mulheres foram muito amáveis
Você ficou atordoado, atordoado
Sim, sim, sim, atordoado

Sim
Oh, atordoado, sim

Agora estamos com os joelhos tremendo
Por favor, eu poderia voltar novamente?

Atordoado, atordoado
Sim, sim, sim, atordoado
Atordoado, sim, sim, sim

Disse: Sim, está tudo bem
Estamos indo bem
Sim, está tudo bem
Estamos indo bem
(Tão bem)

Atordoado, sim, sim, sim
Atordoado, atordoado, atordoado
Whoa, querida, querida, atordoado
Você ficou atordoado, atordoado
Atordoado, atordoado, atordoado
Você ficou atordoado
Atordoado
Atordoado
Você ficou atordoado

Games – Novidades da Nintendo e da Sony

Por Gabriel Cavalcante Leão Dias

Nas últimas semanas tivemos a Nintendo Direct e novidades da franquia Pokémon(que é exclusiva da Nintendo, então estarei incluindo aqui), assim como o State of Play da Sony.

Vou contar algumas das novidades que anunciaram em cada evento.

Começando com o State of Play, da Sony. Não tivemos muitas novidades. Foi mostrado gameplay novo e falaram mais um pouco de alguns títulos que já foram anunciados previamente. As maiores notícias foram do jogo Crash Bandicoot 4: It’s About Time, ganhando uma versão para o PS5 (que pode compartilhar o save com sua versão do PS4 e também é possível fazer um upgrade da versão do PS4 para o PS5) e a outra grande notícia foi de que o remake de Final Fantasy VII também irá ter esse mesmo tratamento de ganhar um versão para o PS5 e que pode ser feito um upgrade da versão do PS4 para o PS5 e além disso o jogo também terá um conteúdo extra da personagem Yuffie que será exclusivo do PS5. Além dessas notícias, a maioria do evento foram jogos ou já mencionados ou alguns jogos indies novos. Recomendo assistir ao State of Play, pois alguns dos jogos apresentados possuem ideias bem interessantes.

O Nintendo Direct começou apresentando o novo personagem a ser adicionado no jogo Smash Bros Pyra e Mythra do jogo Xenoblade Chronicles 2, Fall Guys e Outer Wilds, no Nintendo Switch, e o Remake de Famicom Detective Club, um jogo de mistério previamente disponível apenas no Famicom(nome japonês original do nintendinho). Uma versão especial do Switch foi anunciada com temática de Monster Hunter Rise e o videogame vai vir com o jogo incluso. O evento terminou anunciando o remake de The Legend of Zelda: Skyward Sword e a revelação de Splatoon 3. O Nintendo Direct teve muita coisa nova e boa, então não posso colocar tudo aqui, mas acredito que foi um ótimo primeiro direct no ano. Vale muito a pena assistir ao evento.

Gabriel Cavalcante Leão Dias, Design de Games.

O evento Pokémon Presents mostrou os 25 Anos de história da franquia Pokémon, mostrando todos os produtos lançados desde 1996 e como a marca evoluiu e foi crescendo junto aos seus fãs, mostrando os primeiros jogos, o Pokémon Red e Pokémon Blue, até os mais recentes como o Pokémon GO que já foi febre mundial, e o Pokémon Sword e Pokémon Shield. Foi mostrado gameplay de New Pokémon Snap, continuação de um clássico jogo para o Nintendo 64, onde o objetivo do jogo é tirar a melhor foto possível dos Pokémons espalhados pela fase. Foram anunciados os Remakes Pokémon Brilliant Diamond e Pokémon Shining Pearl confirmando os rumores de 2018 que os próximos jogos após Sword e Shield seriam remakes da Quarta Geração de jogos da franquia. E a última notícia do evento foi um jogo de mundo do Pokémon com o nome de Pokémon Legends: Arceus, anunciado para 2022. Também foi anunciado um álbum para comemorar os 25 anos da franquia com participações de vários artistas como Post Malone e Katy Perry.

Pokémon é, até a data dessa postagem, a mídia mais rentável da história, tendo feito mais de 100 bilhões de dólares se juntar os lucros de todos os seus produtos, que incluem jogos, filmes, mercadoria e aviões (sim, a marca de vez em quando empresta sua imagem para vôos temáticos de pokémon).

O Nintendo Direct teve uma pequena controvérsia pois não foi anunciado nada de muito grande da franquia Zelda, que comemorou seus 35 anos no dia 21 de fevereiro. Mas além do remake de Skyward Sword e o anúncio de que a equipe ainda está trabalhando no próximo título da franquia, nada mais foi dito. Já se sabe que haverá alguma comemoração ou no mínimo um evento. Rumores dizem que acontecerá no verão, mas não se sabe a data exata e nem o que a Nintendo vai fazer para celebrar a franquia. Se esperava que seria dito neste Direct, mas acredito que um Zelda Direct é uma possibilidade quase certa num futuro próximo.

Assista: 

Nintendo Direct

Sony State of Play

Pokémon Presents

*Gabriel Cavalcante Leão Dias é Design de Games

Fonte: Repiquete no Meio do Mundo.

A longevidade dos jogos de vídeo game – Por Gabriel Cavalcante Leão Dias – Design de Games

Team Fortress 2

Gabriel Cavalcante Leão Dias – Design de Games

Quanto tempo dura um jogo? Por quantos meses ou anos um jogo consegue se manter na mente das pessoas até eventualmente cair no esquecimento? A resposta não é tão simples como um número já pré-determinado. Existem diversos fatores que influenciam no tempo de vida de um jogo.

O primeiro fator que influencia a vida de um jogo é obviamente a sua recepção inicial. Afinal, qualquer jogo que não faz sucesso no lançamento quase nunca consegue se manter relevante depois de uma má primeira impressão. Vou citar novamente o Cyberpunk 2077 que era um dos jogos mais esperados da década e 2 meses depois do lançamento pouco se escuta falar sobre o jogo, digo até mesmo que esse jogo já caiu no subconsciente de muita gente, que só se lembram que esse jogo existe, quando mencionado. Se um jogo não começar com pelo menos uma base de jogadores ativa é muito improvável que continue recebendo suporte após alguns meses, o que me leva para o próximo tópico.

Team Fortress 2

Suporte do desenvolvedor é o segundo fator que eu gostaria de falar e talvez o mais importante, especialmente se o jogo for um multijogador online, jogos como Overwatch, League Of Legends ou World Of Warcraft necessitam de atualizações frequentes para manter seus jogadores. Estes são só alguns exemplos de jogos que não possuem muita variedade na jogabilidade, comumente possuem um modo de jogo principal com uns 2 ou 3 outros modos diferentes para que o jogo tenha uma certa variedade. É necessário que os desenvolvedores criem atualizações constantes para que os jogadores não fiquem entediados, afinal, jogar a mesma coisa depois de alguns dias já começa a ficar previsível e eventualmente vai perdendo aquela sensação de algo novo e emocionante. Uma maneira comum de manter interesse é com a adição de personagens, mapas ou modos de jogos novos, eventos sazonais(eventos de natal, halloween, etc.) também ajudam a manter jogadores. Também é preciso ressaltar que nem só porque o jogo ainda tem suporte contínuo isso é uma coisa boa, muitas jogos já acabaram porque os desenvolvedores não tinham certeza da direção que o jogo deveria tomar e às vezes parecia até mesmo que não sabiam o que atraiu seus jogadores, mudando mecânicas que começaram como o maior diferencial fazendo com que a maior parte dos jogadores abandonassem o jogo. Mudanças ruins são piores do que não fazer nada.

O terceiro ponto que gostaria de falar são os próprios jogadores. Mesmo com uma base de jogadores relativamente pequena um jogo ainda consegue se manter vivo se possuir uma base de jogadores constantemente ativa. Team Fortress 2 é um jogo que já tem quase 15 anos e graças aos jogadores conseguiu atrair jogadores novos mesmo anos depois de seu lançamento. O jogo oferece a liberdade para os jogadores criarem modos de jogo e mapas próprios, o que oferece virtualmente uma quantia infinita de formas de aproveita-lo.

O site steam charts permite ver quantos jogadores estão ao mesmo tempo no jogo. No exemplo de Team Fortress 2, no dia deste post havia 102.879 jogadores ao mesmo tempo dentro de 24 horas e o número máximo de jogadores do jogo foram 146.887. Então dá pra ver que o jogo manteve uma playerbase bem constante desde seu lançamento em 2007.

Fonte: Repiquete no Meio do Mundo.

Música de agora: O Pulso – Titãs

O Pulso – Titãs

O pulso ainda pulsa
O pulso ainda pulsa…

Peste bubônica
Câncer, pneumonia
Raiva, rubéola
Tuberculose e anemia
Rancor, cisticercose
Caxumba, difteria
Encefalite, faringite
Gripe e leucemia…

E o pulso ainda pulsa
E o pulso ainda pulsa

Hepatite, escarlatina
Estupidez, paralisia
Toxoplasmose, sarampo
Esquizofrenia
Úlcera, trombose
Coqueluche, hipocondria
Sífilis, ciúmes
Asma, cleptomania…

E o corpo ainda é pouco
E o corpo ainda é pouco
Assim…

Reumatismo, raquitismo
Cistite, disritmia
Hérnia, pediculose
Tétano, hipocrisia
Brucelose, febre tifóide
Arteriosclerose, miopia
Catapora, culpa, cárie
Cãibra, lepra, afasia…

O pulso ainda pulsa
E o corpo ainda é pouco
Ainda pulsa
Ainda é pouco

Pulso
Pulso
Pulso
Pulso

Assim…

Por que jogos de vídeo game são tão caros?

Gabriel Cavalcante Leão Dias – Design de Games

Por Gabriel Cavalcante Leão Dias – Design de Games

Alguma vez você já deve ter pensado: “por que esses esses jogos de videogame são tão caros?”. Seja porque você tem interesse em jogos ou seu filho/filha quando pede esse presente, e os preços assustam, esse questionamento já deve ter passado pela sua cabeça.

A resposta curta e crua é principalmente o valor do dólar, e a desvalorização do real em relação ao dinheiro americano. Um jogo de lançamento nos EUA custa 60$, com o valor do dólar atualmente(5,47R$) a conversão chega perto dos 300 “bonoros”, mas mesmo com o preço do dólar a 4R$ o preço de um jogo grande ainda era de pelo menos 280 reais.

Preço de lançamento do jogo fifa 21, uma das séries de jogos mais bem vendidas do mundo.

Em nossos dias, a indústria de jogos tem uma receita multibilionária, graças a diversos modelos de venda que aumentaram exponencialmente a quantidade de dinheiro que passa pela indústria. Taxas e impostos também elevam o preço de jogos que só são disponíveis em certas partes do mundo(jogos exclusivos da ásia,por exemplo), além da taxa sobre importação, ainda é necessário acrescentar o preço do transporte, o que em algumas situações dobra o preço pago para poder jogar um único jogo. Com a chegada da nova geração de videogames no final do ano a expectativa é que os preços dos jogos aumentem ainda mais.

Vários jogos também oferecem diversas versões disponíveis e acrescentam conteúdo, que com o tempo vão aumentando o preço total, da versão mais simples, adquirida inicialmente, ao jogo completo.

Com a pandemia e o obrigatório distanciamento social, a diversão em casa, sozinhos ou em pequenos grupos, e os encontros virtuais para jogar vídeo game, vão manter esse multibilionário mercado mais aquecido ainda.
Nos próximos artigos, vamos organizar umas “dicas” para economizar na compra de jogos.

Fonte: Repiquete no Meio do Mundo.

Música de agora: Olê, Olá – Chico Buarque, com participação de Maria Bethânia

Olê, Olá – Chico Buarque, com participação de Maria Bethânia

Não chore ainda não, que eu tenho um violão
E nós vamos cantar
Felicidade aqui pode passar e ouvir
E se ela for de samba há de querer ficar
Seu padre toca o sino que é pra todo mundo saber
Que a noite é criança, que o samba é menino
Que a dor é tão velha que pode morrer
Olê, olê, olê, olá
Tem samba de sobra, quem sabe sambar
Que entre na roda, que mostre o gingado
Mas muito cuidado, não vale chorar

Não chore ainda não, que eu tenho uma razão
Pra você não chorar
Amiga, me perdoa, se eu insisto à toa
Mas a vida é boa para quem cantar
Meu pinho, toca forte que é pra todo mundo acordar
Não fale da vida, nem fale da morte
Tem dó da menina, não deixa chorar
Olê, olê, olê, olá
Tem samba de sobra, quem sabe sambar
Que entre na roda, que mostre o gingado
Mas muito cuidado, não vale chorar

Não chore ainda não, que eu tenho a impressão
Que o samba vem aí
É um samba tão imenso que eu às vezes penso
Que o próprio tempo vai parar pra ouvir
Luar, espere um pouco, que é pra o meu samba poder chegar
Eu sei que o violão está fraco, está rouco
Mas a minha voz não cansou de chamar
Olê, olê, olê, olá
Tem samba de sobra, ninguém quer sambar
Não há mais quem cante, nem há mais lugar
O sol chegou antes do samba chegar
Quem passa nem liga, já vai trabalhar
E você, minha amiga, já pode chorar

Tecnologia, robótica e game são temas de debate virtual nesta terça-feira (4)

Os ambientes escolares já não são mais os mesmos. A tecnologia avança e as características do ensino inovador mostram que a robótica e os jogos estão cada vez mais presentes no mercado.

Quer descobrir como os temas tecnologia, robótica e game são abordados atualmente?

Não perca a nossa próxima live.

Vai ser um bate-papo muito bom, apresentado pelo instrutor do SENAI AP, Joseph Douglas, e os alunos Gabriel Ferraz e José Evaldo, do Ensino Médio do SESI SENAI Amapá.

Corre no canal do SENAI Amapá no youtube e ativa o lembrete.

Vai ser terça-feira, 4 de agosto, às 19h.

Música de agora: Toda Forma de Poder – Engenheiros do Hawaii

Toda Forma de Poder – Engenheiros do Hawaii

Eu presto atenção no que eles dizem
Mas eles não dizem nada
Fidel e Pinochet tiram sarro de você que não faz nada
E eu começo a achar normal que algum boçal
Atire bombas na embaixada

Se tudo passa, talvez você passe por aqui
E me faça esquecer tudo que eu vi
Se tudo passa, talvez você passe por aqui
E me faça esquecer

Toda forma de poder é uma forma de morrer por nada
Toda forma de conduta se transforma numa luta armada
A história se repete
Mas a força deixa a história mal contada

Se tudo passa, talvez você passe por aqui
E me faça esquecer tudo que eu vi
Se tudo passa, talvez você passe por aqui
E me faça esquecer

E o fascismo é fascinante
E deixa gente ignorante fascinada
É tão fácil ir adiante e se esquecer
Que a coisa toda tá errada
Eu presto atenção no que eles dizem
Mas eles não dizem nada

Se tudo passa, talvez você passe por aqui
E me faça esquecer tudo que eu vi
Se tudo passa, talvez você passe por aqui
E me faça esquecer

Se tudo passa, talvez você passe por aqui
E me faça esquecer tudo que eu vi
Se tudo passa, talvez você passe por aqui
E me faça esquecer

Música de agora: Tendo A Lua – Os Paralamas do Sucesso

Tendo A Lua – Os Paralamas do Sucesso

Eu hoje joguei tanta coisa fora
E vi o meu passado passar por mim
Cartas e fotografias, gente que foi embora.
A casa fica bem melhor assim
O céu de Ícaro tem mais poesia que o de Galileu
E lendo teus bilhetes, eu lembro do que fiz
Querendo ver o mais distante sem saber voar
Desprezando as asas que você me deu
Tendo a lua aquela gravidade aonde o homem flutua
Merecia a visita não de militares,
Mas de bailarinos
E de você e eu.
Hoje joguei tanta coisa fora
E lendo teus bilhetes, eu lembro do que fiz
Cartas e fotografias gente que foi embora.
A casa fica bem melhor assim
Tendo a lua aquela gravidade aonde o homem flutua
Merecia a visita não de militares,
Mas de bailarinos
E de você e eu.
Tendo a lua aquela gravidade aonde o homem flutua
Merecia a visita não de militares,
Mas de bailarinos
E de você e eu.

Música de agora: Ciranda da Bailarina – Chico Buarque.

Ciranda da Bailarina – Chico Buarque.

Procurando bem
Todo mundo tem pereba
Marca de bexiga ou vacina
E tem piriri, tem lombriga, tem ameba
Só a bailarina que não tem
E não tem coceira
Verruga nem frieira
Nem falta de maneira
Ela não tem

Futucando bem
Todo mundo tem piolho
Ou tem cheiro de creolina
Todo mundo tem um irmão meio zarolho
Só a bailarina que não tem
Nem unha encardida
Nem dente com comida
Nem casca de ferida
Ela não tem

Não livra ninguém
Todo mundo tem remela
Quando acorda às seis da matina
Teve escarlatina
Ou tem febre amarela
Só a bailarina que não tem
Medo de subir, gente
Medo de cair, gente
Medo de vertigem
Quem não tem

Confessando bem
Todo mundo faz pecado
Logo assim que a missa termina
Todo mundo tem um primeiro namorado
Só a bailarina que não tem

Hoje é o Dia Internacional do Gamer

10616671_10204424821517645_3997366859068066269_n

Como os leitores deste site sabem, temos uma seção “Datas Curiosas”. Portanto, vamos ao inusitado do calendário deste vigésimo dia do mês oito. Hoje, 29 de agosto, é o Dia Internacional do Gamer. Em 29 de agosto de 2008, um grupo de revistas espanholas especializadas em games criou a data para parabenizar todos os aficcionados por jogos eletrônicos. E olha que tem gente à beça que curte os diversos tipos de videogames.

A data é bastante democrática, pois independentemente do console, plataforma ou qualquer tipo, amamos gamers. Seja como pilotos de prova, corridas, aviões ou espaçonaves; lutadores, soldados, jogadores de futebol; no combate hordas à de aliens, indo de castelo em castelo em busca de uma princesa, atirando nos barris vermelhos para explodir tudo, assassinando todo o panteão do Olimpo ou pulando de estruturas extremamente altas esperando que um monte de palha amorteça a queda.

8btM1pc

Para ser um gamer basta curtir jogos eletrônicos, esse passatempo fantástico. Tanto faz se em frente à televisão, monitor do PC ou celular, a gente ama jogar. Uns mais que os outros, é verdade. Alguns defendem a tese de que os jogos estimulam habilidades intelectuais. Será? Pode ser, se aliada a leitura e demais formas da construção cultural do ser humano.

De jogo em jogo, desde os tempos das fichas de fliperama, Atari, MegaDrive, Supernitendo, Playstation 1,2,3, etc…aprendi muito. Aliado a um tufão de sentimentos que vão desde a satisfação da vitória ou de zerar o jogo, até a frustração da derrota ou perda de várias vidas em uma única fase.

14051781_1450492984977650_8339253479173264533_n

Hoje em dia, sou um gamer casual, apesar de todos os dias jogar pelo menos meia hora no celular. Mas tenho muitos amigos viciadíssimos, como o Fausto e o Cid.

Portanto, este é um dia de celebração para essa sensacional cultura midiática do entretenimento.

Agora, convenhamos, o mundo midiático dos videogames é mesmo fascinante. Sabe lá Deus quantos livros e filmes legais deixei de ler ou assistir por conta deste vício.

old-video-game

Certa vez, em 2010, escrevi a crônica “Até quando jogaremos videogame?”. Tenho certeza que a resposta é “forever”.

Parabéns aos mais de 1,2 bilhões de gamers de todo mundo. Vocês transformam esta indústria na mais lucrativa do ramo de entretenimento. Em segundo lugar vem o cinema.

Fontes: EuroGamer, PlayStationBlog e History.

Elton Tavares

Jovem amapaense desenvolve jogos virtuais e conquista o mundo

Leonardo Rocha Couto

O amapaense Leonardo Rocha Couto, de 25 anos, é a mais nova sensação dos amantes de jogos virtuais. Criação dele, e há bem pouco tempo hospedado na maior plataforma de jogos para computador do planeta, com sede nos Estados Unidos (EUA), o jogo chamado Rounders (Arena) ganhou o mundo. Nascido em Macapá (AP), o jovem mora e estuda em Belém (PA), onde faz o 7º dos oito semestres do curso de Ciência da Computação na Universidade da Amazônia (Unama).

Leonardo explicou que o Rounders, lançado em 27 de setembro de 2018 na plataforma Steam, da empresa americana Valve, foi desenvolvido pela Machinus Studio (Leonardo Couto) durante dois anos, aproveitando suas folgas da faculdade. “Cheguei a trabalhar no setor de TI (Tecnologia da Informação) durante um ano e três meses pela Susipe (PA), já extinta, mas depois passei a trabalhar em casa mesmo, inclusive como desenvolvedor de jogos pela antiga Microcamp, de Belém”.

Leonardo afirmou que já está trabalhando em outros projetos, já estando com o seu segundo jogo em fase de formatação para lançar brevemente. “Produzo os jogos desde a parte artística até a programação de fato, e as vezes quando preciso de algo mais especifico procuro pessoas online que possam ajudar a contribuir nos jogos”, revela, acrescendo que o Rounders, que pode ser acessado pela plataforma https://store.steampowered.com/app/819730/Rounders_Arena/ foi desenvolvido usando o motor gráfico Unity, um dos motores mais usados pelos desenvolvedores no mundo.

Ele ressaltou que desenvolvi esse jogo durante o tempo livre que teve ao longo de dois anos, destacando que se trata de um jogo de plataforma para computador 2D com gráficos estilo retrô, com multiplayer local para até quatro jogadores. “O objetivo do jogo é simples, você tem 100 fases para serem concluídas, e cada fase apresenta diferentes obstáculos para serem ultrapassados; toda fase tem uma porta; o objetivo do jogador é alcançar essa porta e ao chegar na porta você avança para o próximo nível”, ensina.

Novos projetos

Segundo Leonardo, foram muitas as dificuldades encontradas não apenas para o desenvolvimento do projeto, como também para a sua publicação: “Após o trabalho concluído eu tive que pagar uma taxa de 100 dólares e depois foi preciso digitalizar e mandar passaportes, identidade e CNH à empresa Valve para poder ser avaliado, até que foi aprovado; após esse processo eu passei a ter todo o tempo livre para montar a minha própria ‘vitrine’ virtual, enviando-a depois para aprovação da empresa, culminando com a validação e consequente publicação no dia 27 de Setembro de 2018”.

Perguntando sobre o que pretende fazer no futuro, Leonardo Couto não hesitou: “O meu mundo é a informática, sobretudo a criação, e para isso estou me dedicando inteiramente aos estudos e à produção; inclusive estou trabalhando em outro jogo, ainda mais sofisticado e com mais recursos, que pretendo lançar ainda neste ano ou, no mais tardar, no início de 2020”, previu.

Fonte: Diário do Amapá

Música de agora: Se Não Fosse O Samba (Marcelo D2 em homenagem a Bezerra da Silva)

Se Não Fosse O Samba – Bezerra da Silva (versão de Marcelo D2)
 
E se não fosse o samba quem sabe hoje em dia eu seria
Do bicho…
Se não fosse o samba
Quem sabe hoje em dia eu seria do bicho
Não deixou a elite me fazer marginal e também em
Seguida me jogar no lixo
 
A minha malandragem era um lápis e papel no bolso da
Jaqueta e uma toca de meia na minha cabeça, e uma
Fita cassete gravada na mão, e toda vez que eu descia o
Meu morro do galo eu tomava uma dura us homens voavam
Na minha cintura pensado em encontrar aquele 38tão,
 
Mas como não achavam ficavam mordidos e não me
Dispensavam abriam caçapa e lá me jogavam mas uma vez
Na tranca dura pra averiguação, batiam o meu boletim,
E o nada consta dizia: ele e um bom cidadão ô cana dura
 
Ficava muito injuriado porque era obrigado a me tirar da
Prisão, mas hoje em dia eles passam me veem me abraçam
Me chamam de amigo, os que são compositores gravam comigo
E até me oferece toda proteção, humildemente agradeço e
 
Digo pra eles que estou muito seguro porque sou um bom
Malandro e não deixo furo e sou considerado em qualquer
Jurisdição ihhhhhhh se não fosse o samba
Quem sabe hoje em dia eu seria do bicho…