CEA Equatorial registra mais de 90 ocorrências de pipas na rede elétrica no primeiro semestre do ano

Durante o mês de julho, com a chegada das férias escolares, a prática de empinar pipas aumenta significativamente. Essa atividade, no entanto, pode causar sérios problemas à rede elétrica e colocar a vida das pessoas em risco se não for realizada corretamente. Por isso, a CEA Equatorial alerta sobre os riscos e impactos de soltar pipas próximo à rede elétrica.

De acordo com levantamento da distribuidora, de janeiro a junho de 2024 foram registradas 92 ocorrências de interrupção no fornecimento de energia em todo o estado devido à prática. Esse número é quase 130% maior do que o de 2023, quando ocorreram 40 interrupções.

Até junho de 2024, as cidades com mais registros causados por pipas na fiação foram: Santana com 40 ocorrências e Macapá com 39. Os municípios de Amapá, Ferreira Gomes, Mazagão, Laranjal do Jari, Pedra Branca do Amapari e Tartarugalzinho também registraram ocorrências.

A executiva de segurança do trabalho da CEA Equatorial, Jordânia Sousa, explica o motivo e a necessidade de manter as pipas longe da rede elétrica.

“Queremos que a brincadeira ocorra de forma segura, então recomendamos que crianças e adolescentes sempre soltem pipas supervisionados por adultos, que jamais use fios metálicos ou papel laminado para confeccionar a pipa, pois eles são condutores de energia, e podem causar choques fatais e, principalmente, não solte pipas próximos à rede elétrica. Além disso, é importante dizer que se a pipa ficar presa nos fios elétricos, nunca tente retirá-la”, orienta Jordânia.

As pipas que ficam enroscadas na rede elétrica, provocam desgastes nos fios e curtos-circuitos em dias úmidos. Se houver contato, uma pessoa pode sofrer uma descarga elétrica de até 34.500 volts, o que pode ser fatal.

O uso de cerol (mistura de cola e vidro moído) ou da “linha chilena” é considerado crime pelo Código Penal Brasileiro. A movimentação dessas linhas compromete o isolamento dos condutores elétricos protegidos e pode romper os cabos de energia. O cerol pode conter limalha de ferro, substância que provoca curtos-circuitos e choques. Além disso, essas linhas representam um risco para ciclistas, motociclistas e a população em geral.

Orientações de segurança que devem ser seguidas:
Não solte pipas em canteiros centrais de ruas, avenidas, rodovias ou qualquer lugar onde exista fluxo de veículos;
Linhas metálicas não devem ser usadas no lugar da linha comum. Nunca use cerol ou a linha “chilena”, elas são proibidas por lei e causam acidentes;
Não utilize papel alumínio na confecção da pipa. É perigoso, pois este material em contato com os fios provoca curtos-circuitos;
Caso a pipa enrosque nos fios, é melhor desistir do brinquedo. Tentar recuperá-la representa sério risco, assim como tentar remover a pipa com canos ou bambus;
Não solte pipa em tempo nublado, principalmente se tiver com chuva. Ela pode funcionar como para-raios, conduzindo energia;
Não é indicado subir nas lajes das casas para empinar pipa, qualquer distração pode causar uma queda;
Tenha cuidado com ciclistas e motociclistas, pois as linhas não podem ser vistas e linhas de cerol ou reforçadas podem causar graves acidentes.
Em caso de acidentes com a rede elétrica, as dicas são: Isolar o local, não permitindo a aproximação de pessoas; jamais tocar em fios partidos; acionar imediatamente a CEA Equatorial através da Central de Atendimento no 0800 096 0196.

Assessoria de Imprensa da CEA Equatorial

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *