Centro de Apoio Operacional da Educação e 3ª Promotoria da Infância e da Juventude dialogam sobre atuação conjunta

Na quinta-feira (19), o Centro de Apoio Operacional da Educação (CAO-EDU), realizou reunião com a 3ª Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos da Infância e da Juventude de Macapá (3ª PJDDIJ), no Complexo Cidadão Centro. O objetivo foi dialogar sobre ações conjuntas entre as unidades do Ministério Público do Amapá (MP-AP).

Na ocasião, a 3ª Promotoria da Infância solicitou apoio do CAO-EDU para debater sobre os procedimentos relacionados aos atos infracionais nas escolas. Além disso, outros assuntos pautados envolveram dados do sistema educacional amapaense; mazelas nos educandários; funcionamento da 3ª PJDDIJ; práticas restaurativas, entre outros.

Participaram o coordenador do CAO-EDU, promotor de Justiça Roberto Alvares e Equipe; a titular da 3ª PJDDIJ e a analista ministerial, promotora de Justiça Elissandra Verardi e Alzira Nogueira, respectivamente.

A promotora de Justiça Elissandra Verardi pontuou o que foi decidido durante a reunião. “Vamos fazer uma atuação conjunta entre o CAO da Educação, a Promotoria da Educação e a terceira e quarta Promotorias de Defesa dos Direitos da Infância e da Juventude para acionar a Secretaria de Educação e as escolas que foram identificadas durante os atendimentos, para fazer atuação tanto na identificação e solução das demandas – que sejam ocasionadas pela falta de professores, demanda de carências físicas – como problemas enfrentados sobre ameaças, bullying, racismo, dentre outras que são mais vivenciadas dentro da comunidade escolar para que façamos esse trabalho junto com o estabelecimento educacional apontado, diante da realidade de cada local no qual vamos atuar em conjunto”, destacou.

O coordenador do Centro de Apoio Operacional da Educação afirmou que “é a primeira vez que o CAO-EDU está sendo chamado por um órgão de execução interno do Ministério Público para interagir conjuntamente. Ficamos satisfeitos com o desfecho das falas, tendo em vista a geratriz de ações em favor do Sistema Educacional, eis que a Segurança dentro das Unidades Escolares vem sendo repetidamente afetada. Essa atuação conjunta é importante para estreitar os laços entre tais órgãos da instituição, bem como pensar, sugerir e operacionalizar ideias que visem à promoção de uma educação tando de qualidade quanto fraterna para todas as crianças e adolescentes do Estado do Amapá”, iniciou o promotor de Justiça Roberto Alvares.

“Portanto, esta é a primeira de várias reuniões que vão acontecer, cujas pautas suportarão temas caros ao melhoramento da sociedade em que vivemos. A equipe da Promotoria de Defesa da Educação e Centro de Apoio Operacional da Educação, agradece à disponibilidade e gentileza da Promotora da Justiça Elissandra Verardi e da Analista Ministerial Alzira Nogueira pela proposição em prol da educação amapaense”, finalizou.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Núcleo de Imprensa
Coordenação: Gilvana Santos
Texto: Luiz Felype Santos
E-mail: [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.