Combate a Dengue: Ministério Público do Amapá intensifica limpeza em suas unidades

redimensiona

Após o procurador-geral do Ministério Público do Amapá (MP-AP), Roberto Alvares, assinar o Pacto de Combate ao Mosquito Aedes Aegypti, o MP-AP intensificou os trabalhos de limpeza de suas unidades, em Macapá e nos demais municípios do Estado.

Aproximadamente 20 pessoas trabalham nos serviços de capina e remoção de entulhos. Na sede da Procuradoria-Geral, os trabalhos se concentram na área externa, principalmente na praça pública, em frente ao prédio. “O MP-AP sempre fez esta limpeza, mas agora, intensificamos, diminuindo o intervalo entre os serviços. Estamos removendo tudo que possa servir de criadouro do mosquito aedes aegypti, desde grandes recipientes até tampinhas de garrafa”, destacou a diretora do Departamento de Apoio Administrativo, Silvéria dos Reis.

Todos os prédios do Ministério Público do Estado do Amapá terão os serviços de limpeza intensificados. O procurador-geral do MP-AP, R oberto Alvares, ressalta o empenho de membros e servidores da instituição no combate ao mosquito transmissora da Dengue, Zika e febre chikungunya. “Nossa missão, como fiscal da lei, é cobrar o poder público para combater o aedes, mas não podemos, como cidadãos, ficar de braços cruzados, vendo esta praga se instalar em nossos “quintais”. Emitimos o alerta a todas às promotorias do MP-AP para que membros e serviços nos ajudem neste mutirão do bem”, frisou o PGJ, Roberto Alvares.

Paralelo aos serviços de campo, o MP-AP também trabalha a conscientização. Internamente, o Departamento de Comunicação cria e divulga alertas de combate a Dengue, chikungunya e Zika.

Segundo informações divulgadas pelo governo do Estado, com base no Sistema de Informação de Agravos e Notificações (SINAN), do Ministério da Saúde, no Amapá foram notificados até o dia 1º de dezembro de 2015 4.057 casos de dengue, sendo 2.448 confirmados e notificados 1.229 casos de febre chikungunya, com 1.009 confirmados.

Dengue

A pessoa apresenta febre alta com início súbito; forte dor de cabeça; dor atrás dos olhos, que piora com o movimento dos mesmos; perda do paladar e apetite; manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no tórax e membros superiores; náuseas e vômitos; tonturas; extremo cansaço e dor no corpo especificamente nos ossos e articulações.

Chikungunya

Também se verifica o surgimento de febre alta repentinamente; intensa dor nas articulações; cansaço excessivo; dores de cabeça constantes e erupções na pele. Algumas diferenças que se pode notar é hipersensibilidade à luz e a ocorrência de diarreia.

Outro fato observado é que normalmente, os sintomas da chikungunya, assim como os da dengue e zika, diminuem cerca de sete dias após o início do tratamento, mas o cansaço pode se manter por várias semanas e a dor no corpo e nas articulações pode permanecer por meses, podendo acometer a pessoa por até dois anos.

Zika vírus

Um dos diferenciais mais notados entre os sintomas do zika para os outros é a febre baixa (entre 37,8 e 38,5 graus). A doença apresenta também dor nas articulações mais frequentemente nas articulações das mãos e pés, com possível inchaço; dor muscular; dor de cabeça e atrás dos olhos; erupções cutâneas acompanhadas de coceira que podem afetar o rosto, o tronco e alcançar membros periféricos, como mãos e pés.

Porém, o zika pode também não apresentar sintoma algum, permanecendo no corpo do indivíduo. Outros sintomas, não tão frequentes, são observados para o zika: dor abdominal; diarreia; constipação; fotofobia; conjuntivite e pequenas úlceras na mucosa da boca.

SERVIÇO:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá
Contato: (96) 3198-1616/(96) Email: asscom@mpap.mp.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *