Companhia Nu Escuro chega ao Amapá para oficina e apresentações teatrais

O Projeto “Dentro e Fuera” promove duas sessões do espetáculo “O Cabra que Matou as Cabras” e uma oficina de Musicalidade Teatral no CEU das Artes da zona norte de Macapá.

Com 26 anos de trajetória, a Cia Nu Escuro (GO) chega a Macapá para mais uma etapa do projeto de circulação que inclui o Amapá, Roraima e Alagoas, além da Paraíba e Pará. Em Macapá, a Companhia se apresenta no CEU das Artes, no bairro Infraero 2, a programação se inicia na quarta-feira (6) com a Oficina Musicalidade Teatral – no teatro de bonecos. Já na quinta (07) e sexta-feira (08) é apresentado o espetáculo “O Cabra que Matou as Cabras”, sempre às 19h.

Após dois anos desenvolvendo ações virtuais em decorrência da pandemia, a Cia de Teatro Nu Escuro volta aos palcos e praças com o sentimento de reestreia do trabalho do grupo. Para os artistas, a circulação presencial é a realização de um sonho, por poderem relatar em suas histórias que se apresentaram em todas as capitais brasileiras, pois no roteiro desta circulação além de retornar a cidades que a Cia já esteve, ela irá se apresentar nas três capitais, Macapá (AP), Boa Vista (RR) e Maceió (AL), onde ainda não haviam se apresentado, além de buscar abrir uma ponte com a América Latina com apresentações em duas cidades na Argentina.

A Oficina “Musicalidade Teatral”

Ministrada por Izabela Nascente, a oficina é direcionada a pessoas interessadas em conhecer a musicalidade voltada para o teatro de bonecos e para a compreensão da música como dramaturgia no teatro de animação. Com duração de três horas, a atividade é uma vivência técnica sobre animação e manipulação de formas animadas.

“Nosso objetivo é ver os aspectos da musicalidade no teatro de animação. Nela trataremos de assuntos como ritmo de fala, corpo e materialidade; música como dramaturgia, pulsação, foco bem como discutir os processos composicionais de uma cena com bonecos e objetos”, complementa a atriz Izabela Nascente.

O espetáculo “O Cabra que Matou as Cabras”

Estreada em 2004, a peça conta a história de Pathelin, um advogado vigarista que sobrevive dando pequenos golpes em seus clientes, mas se vê envolvido em um caso de assassinatos de cabras e bodes. Uma trama cheia de traições, trapaças e reviravoltas, onde uma esposa maliciosa engana seu marido advogado que engana um comerciante ganancioso que engana seu empregado que engana um juiz que quer enganar todo mundo.

Inspirada na peça medieval francesa “A Farsa do Advogado Pathelin”, a montagem recebe influências dos cordéis nordestinos, esquetes de picadeiro, fábulas medievais, ditos populares e vários elementos da cultura popular brasileira, destaca Hélio Fróes, diretor da peça.

Através da circulação, o grupo visa consolidar o diálogo estético, através da troca de experiência e de técnicas cênicas entre os grupos teatrais das cidades visitadas e principalmente com a plateia presente. Este projeto foi contemplado no edital do Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás (2017) e apoiado pela Prefeitura Municipal de Macapá através da Fundação Municipal de Cultura e CEU das Artes, todas as atividades são de acesso livre e gratuito.

Serviço:

Projeto: “Dentro e Fuera”
Oficina: “Musicalidade no Teatral – no teatro de bonecos”
Data: 6 de julho, 18h às 21h, aos inscritos previamente.
Local: CEU das Artes (Infraero 2).
Inscrição: https://forms.gle/Aw3aJtwGspSEaZ658
Espetáculo: O Cabra que Matou as Cabras
Data: 07 e 08 de julho, às 19h.
Local: CEU das Artes (Infraero 2).

Ficha Técnica:

Direção e Dramaturgia: Hélio Fróes
Elenco: Abilio Carrascal, Adriana Brito, Eliana Santos, Izabela Nascente e Lázaro Tuim
Direção Musical: Sergio Pato
Preparação Vocal: Abilio Carrascal
Coreografias: Lázaro Tuim
Cenografia: Mara Nunes e Hélio Fróes
Figurinos e Bonecos: Izabela Nascente
Direção de Produção: Lázaro Tuim

Produção Local e Assessoria de Comunicação (AP)
Paulo Rocha 96 98412-4600

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.