Comunidades ribeirinhas e quilombolas recebem incentivo à leitura no Amapá

Por Paula Monteiro, do Portal Amazônia

Para os ‘homens da cidade’ a televisão, televisão e Internet podem até serem companhias indispensáveis para o lazer e a informação, principalmente em tempos de Copa do Mundo de Futebol. Mas para quem vive praticamente isolado dos grandes centros urbanos – como em comunidades ribeirinhas e quilombolas – as opções são diferentes.

Muitas formas de diversão são oferecidas pela natureza, a exemplo do banho de rio e pescaria. Para convidar a conhecer outros lugares sem sair do lugar e dar uma alternativa de distração, além de acompanhar as partidas da Copa, o projeto cultural ‘Copa da Leitura e da Alegria’ levará 3 mil livros a 11 comunidades do interior do Amapá e do Pará.

A viagem do conhecimento acontecerá no período de 12 de junho a 13 de julho deste ano. O itinerário do saber partirá de Macapá e passará por Itaubal do Piririm e os municípios paraenses Ourém, Capitão Poço, Abaetetuba, entre outros. As obras contam com segmentos variados que vão desde gibis, revistas, histórias infantis à literatura juvenil. Os títulos foram reunidos em doações na capital amapaense, Belém, e em Brasília. “Nossa ideia é levar conhecimento e entretenimento de qualidade através da leitura. Sabemos que os lugares que visitamos são carentes de bibliotecas e o projeto oferece essa oportunidade para as comunidades isoladas, especialmente na Copa do Mundo”, explicou o coordenador do projeto, Jonas Banhos.

Para Banhos o público do interior é diferente daquele da cidade, principalmente o ribeirinho. “Cada viagem é uma emoção. As crianças ribeirinhas têm um brilho especial nos olhos e uma receptividade enorme. Nos enche de orgulho contribuir com a descoberta deles a outros novos universos por meio da leitura. A magia que o livro realiza na vida delas, vai além do intelecto. Muitas mães nos agradecem pela mudança positiva no comportamento dos filhos graças ao projeto”, disse orgulhoso. Para estimular o interesse à leitura, o ‘Copa da Leitura e da Alegria’ atende até mesmo que não é alfabetizado, com contação de histórias, música, teatro e brincadeiras.

Brincando é que se aprende. O ‘Palhaço Ribeirinho’, personagem criado por Banhos, é o responsável por envolver a criançada no mundo literário através do riso. O palhaço conta as histórias e interpreta as letras que ainda são indecifráveis para alguns. Esta foi a forma que o organizador encontrou em contribuir com a magia da leitura democrática, onde todos têm direito ao prazer da imaginação e intimidade com livros.

Como surgiu o projeto

O projeto ‘Copa da Leitura e da Alegria’ faz parte da iniciativa ‘Barca das Letras’, a qual oferece uma biblioteca itinerante infantil. Criada em 2008, a ‘Barca’ é um trabalho voluntário que funciona no bairro do Laguinho, na capital. Para ter acesso aos livros nem é preciso passar porta adentro do estabelecimento. Basta passar em frente à biblioteca, onde algumas obras ficam expostas na calçada com um atrativo diferente: um pequeno barco em madeira (o qual faz alusão ao nome do projeto) e um varal que são colocados livros ao invés de roupas. Os recursos lúdicos servem para provocar a curiosidade de um potencial leitor.

Doação de livros

O projeto existe graças à doações. As obras são arrecadadas em campanhas permanentes na sede da biblioteca, na capital, e em postos de Belém e Brasília. Quem desejar contribuir basta ligar para o número de telefone (96) 8138-9164. O material será recebido pela ONG Nossa Casa de Cultura e Cidadania.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *