Conferência promovida pelo MP-AP aborda questão de gênero para fortalecimento de Direitos Fundamentais da comunidade LGBT


A Conferência intitulada “Judith Butler e Desobediência de Gênero”, proferida pelo professor doutor João Manuel de Oliveira, deu início à programação voltada para a comunidade LGBT, elaborada pelo Ministério Público do Amapá (MP-AP) com o objetivo estratégico de intensificar o diálogo interinstitucional e a atuação junto à comunidade, para fortalecimento de seus direitos. O evento, realizado na noite desta quarta-feira (4), no auditório da Procuradoria-Geral de Justiça – Promotor Haroldo Franco, é preparatório para o I Encontro do Ministério Público com os Movimentos Sociais, previsto para novembro.

O procurador-geral de Justiça do MP-AP, Márcio Alves, deu boas vindas aos participantes, destacando que esta ação visa institucionalizar uma relação com os seguimentos sociais por meio dos projetos estratégicos da instituição.

“Há anos temos uma dívida com os movimentos sociais, que reconhecemos e pretendemos reconstruir e desconstituir essa diferença temporal que nos afastou um pouco (…). Não há um tempo tão longo que a gente não possa resgatar e criar uma relação mais próxima com a sociedade como um todo. Por isso estamos recebendo todos de coração aberto”, manifestou o PGJ.

João Manuel Oliveira, integrante do Centro de Investigação e Intervenção Social do Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL), iniciou a conferência fazendo uma abordagem conceitual de gêneroJoão Manuel sob o ponto de vista de vários teóricos, até referenciar os estudos feitos por Judith Butler, uma das mais importantes filósofas norte-americanas contemporâneas, especialista no assunto.

Os debates foram mediados pelo professor da Universidade Federal do Amapá (Unifap), Antônio Sardinha, contando com a participação da professora doutora Jamile Borges, do Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Estudos Étnicos e Africanos da Universidade Federal da Bahia (Pósafro-UFBA), e do representante do movimento LGBT do Amapá, André Lopes.

A atividade é fruto de uma parceira do MP-AP com a XIX Escola Doutoral Fábrica de Ideias, formulada pelo Pósafro-UFBA, com o apoio do Curso de Especialização em Estudos Culturais e Políticas Públicas (PCULT), da Unifap. A programação terá continuidade nos dias 9 e 12, com a realização do minicurso ministrado por João Manuel de Oliveira, com o tema: “Estudos de Gênero e Corpos-Aliados: Estado, Democracia e Feminismos”, no horário de 14h às 18h, na PGJ.

Serviço:

Gilvana Santos
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *