Confraria Tucuju e moradores do Largo dos Inocentes sofrem intimidação ao pedir mais segurança


Novamente a Confraria Tucuju é alvo de vandalismo praticado após as denúncias feitas por moradores e trabalhadores de órgãos públicos próximos, e pela presidente da entidade, Telma Duarte, cobrando segurança no Largo dos Inocentes. Na madrugada de domingo, 13, vândalos quebraram as portas da frente. “Acreditamos que foi um ato de intimidação por causa da exposição pública sobre a situação em que se encontra o Largo”, disse a presidente.
O Largo dos Inocentes foi inaugurado em 2008, pela Prefeitura de Macapá em parceria com a Confraria Tucuju. O projeto contemplou a área com bancos, árvores, iluminação especial e placa, e deu ao Largo novas finalidades. Entre elas, os eventos realizados pela Confraria, abertos para a população. Há cerca de um ano alguns jovens começaram a abusar do horário, volume do som, e, com a abertura do shopping, muitos furtos foram registrados na redondeza. “Não tem hora pra farras. Nossas casas amanhecem com fedor de fezes e urina, sem contar a presença de menores bebendo e fumando, uso de drogas, e até sexo é praticado atrás da Igreja São José”, denuncia a moradora Marlúcia Picanço.

A Confraria Tucuju, localizada no Largo dos Inocentes, entrou na mira dos vândalos quando se uniu aos moradores e começou a pedir segurança para o local. Durante as programações, diversas vezes foi preciso chamar policiamento. “Começamos a pedir segurança, iluminação, presença do Conselho Tutelar, poda de árvores, e isso gerou insatisfação por parte dos vândalos”, disse Telma. “As retaliações começaram com provocações verbais, as luzes eram quebradas, destruíam as caixas de energia da Confraria e da Igreja para carregar celular e ligar som. Tivemos que colocar chapa de aço no contador de energia e alarme”, completou.
Em junho, um mal entendido causado por causa de matéria jornalística fez com que o enfrentamento ficasse mais violento.  Telma conta que no dia 19, a Confraria foi depredada com garrafas e pedras, e os cadeados entupidos com palitos. Logo depois, a presidente concedia entrevista para uma emissora de televisão quando um frequentador a agrediu em frente às câmeras. A Guarda Municipal iniciou as rondas ostensivas, o que agradou aos moradores, mas não foi aceito pelos jovens. No primeiro dia de policiamento foram encontrados drogas e armas em mochilas.

Nos últimos dois jogos da seleção brasileira os insatisfeitos com a segurança  começaram um movimento de ocupação do Largo. No domingo tentaram invadir a Confraria, o que deixou a vizinhança mais apreensiva e foi considerado como retaliação. “Querem a escuridão e não a ronda, porque assim os atos ilícitos podem ser feitos sem preocupação.  Temos chamado o Poder Público mas até agora somente a Prefeitura de Macapá reuniu conosco. Ninguém é dono de lá, mas é o Centro Histórico da cidade e merece ser olhado com carinho”, finalizou Telma Duarte.

Durante reunião com o prefeito Clécio Luis, ocorrida hoje, 14, os moradores relataram o que passam no cotidiano. Ficou decidido que na próxima semana uma grande audiência será realizada com moradores, representantes de órgãos públicos, Confraria Tucuju e empresários da redondeza do Largo para definirem as medidas que serão tomadas para resolver a situação.

Mariléia Maciel
Assessoria de Comunicação da Confraria Tucuju

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *