Conheça a música amapaense que representará o Brasil na Europa

Três músicos do Amapá apostaram que os ritmos influenciados pelos negros nos países equatoriais – autointitulados música “crioula” – misturados com o jazz poderia atrair os olhos do mundo para a arte do meio do mundo – e deu certo.

Elias Sampaio, João Batera e Nelson Dutra formam hoje o Eguamanojazz e já estão aprontando as malas para apresentar o resultado dessa levada, o disco Crioulo Amazonique, em uma mostra na Europa, porém ainda precisam da ajuda dos santos de casa para concretizarem este projeto.

O trabalho está sendo produzido em Macapá e contêm músicas populares, composições autorais e de outros artistas regionais, com uma roupagem “jazzista”, e será o único representante do Brasil na Mostra Stage Nomade/Normandie na França, que acontece em julho deste ano. A mostra cultural da França é tida como uma vitrine artística para a América do Sul.

“Nós estamos indo não somente com o objetivo profissional, mas também com afeição à terra, às pessoas, ao que se faz aqui. A gente quer mostrar um Brasil que as pessoas lá fora não conhecem”, afirmou Elias Sampaio.

Mas para quem quiser conhecer o projeto antes de ir à França, o grupo fará um pré-lançamento do disco em Macapá, no dia 6 de julho, quando acontece o evento “Norte das Águas”.

Vaquinha

Como a produção, o lançamento e a divulgação do CD possuem um alto custo, o Eguamanojazz criou uma “vaquinha” virtual para arrecadar recursos. A meta é conseguir R$ 40 mil até o dia 8 de junho.

Os interessados em fazer a doação podem acessar o site www.vakinha.com.br, e procurar pela proposta “Eguamanojazz na Normandia”. No botão “contribua”, é necessário fornecer alguns dados e depois finalizar a doação.

O Eguamanojazz afirma que a presença deles num evento internacional, ajuda na consolidação do Amapá no mapa artístico internacional, ajudando inclusive outros artistas. “Isso abre portas para outros grupos daqui (do Amapá) também. Nós não queremos só ‘pra’ gente, queremos que a música como um todo vá”, diz Elias.

Eguamanojazz

Apesar dos três músicos se conhecerem há bastante tempo, o grupo surgiu em 2016, quando o interesse em pesquisar a música crioula produzida no Amapá se intensificou. Além de estudar a música em si, o Eguamanojazz estuda a história, as influências e os componentes dessa cultura.

Eles perceberam que as músicas produzidas na Guiana Francesa, Suriname e Martinica, tinham muitas semelhanças com as produzidas no estado, somente o nome era diferente.

“Não é marabaixo, não é batuque, não é samba. É a junção disso tudo. Nós chegamos à conclusão que é melhor colocar isso num disco do que estar falando. É melhor mostrar na nossa visão, do Eguamanojazz, o que é a música crioula no Amapá”, disse o músico.

O grupo tem ainda outros trabalhos no estado que visam popularizar a música instrumental, como “Jazz na Praça” e shows com cantores e músicas locais, através do jazz.

Fonte: Bem Tucuju

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *