Conheça os serviços de assistência e apoio às mulheres vítimas de violência doméstica

As amapaenses têm à disposição a Rede de Atendimento à Mulher (RAM), que oferece amparo em situações de violência doméstica. A estrutura é composta por órgãos do Governo do Estado de diferentes setores, como saúde, segurança pública e assistência social, além do Ministério Público Estadual (MPE), dentre outras instituições sociais.

São ofertadas gratuitamente uma série de serviços sociais, como assistência jurídica, médica, social, psicológica e fisioterapêutica. A Rede também executa políticas públicas no combate à violência contra a mulher. Em 2023, a Lei Nº1.764/13, que estabelece a RAM, completou 10 anos e entrou em atualização.

“É um trabalho motivador e desafiador. O Estado está empenhado em promover a pluralidade no atendimento e apoio destes órgãos para beneficiar cada vez mais as mulheres amapaenses”, destacou a secretária de Políticas para Mulheres, Adrianna Ramos.

A gerente de articulações da Rede, Larissa Rocha, considera que a oferta dos serviços é essencial para reforçar as orientações ao público feminino.

“É importante que os órgãos continuem cumprindo o papel de forma humanizada, além de intensificar a atualização da lei, visando ampliar os parceiros e diretrizes que ainda não existiam, e no sentido de continuar a combater, prevenir e dar assistência a essas mulheres”, afirmou Larissa.

Atendimento humanizado

Uma das pessoas acolhidas pelos serviços é Rosa (nome fictício), de 35 anos. Para ela, o atendimento especializado oferece mais suporte às vítimas de algum tipo de abuso.

“Minha primeira experiência com a rede de apoio às mulheres foi muito confortante. Me senti acolhida, como em um colo de mãe. É o que precisamos após passar por abusos. São mulheres que entendem as outras, que já passaram por algum tipo de situação. Recebi toda atenção possível e me auxiliaram com atendimentos psicológicos e judiciais disponíveis na instituição”, comentou Rosa.

Serviço

A Rede de Atendimento à Mulher funciona dentro do prédio administrativo da Sepm, localizado na Rua São José, 1570, no Centro, das 8h às 18h. O telefone para contato é (96) 98402-7649, funcionando 24 horas por dia.

Conheça outros endereços das unidades de atendimento especializado pelo estado:

Centros de Referência em Atendimento à Mulher (Cram)
Unidade Mazagão: Avenida Intendente Pinto, 932, no Centro.
Unidade Porto Grande: Avenida Manoel Bentes Parente, 785, no Centro.
Unidade Laranjal do Jari: Avenida Tiradentes, 882, no Agreste.
Unidade Oiapoque: Rua Joaquim Caetano da Silva, nº 1000 (prédio do Super Fácil).

Centros de Atendimento à Mulher à Família (Camuf)
Unidade Macapá: Rua São José, 1590, no Centro.
Unidade Santana: Avenida Santana, 1815-B, no Centro.

Núcleos de Acolhimento às Mulheres Amapaenses Lésbicas, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexo (Ama LBTI)
Unidade Macapá: Rua Odilardo Silva, nº 854, lote 215, quadra 27, setor 1, no bairro Julião Ramos.

Texto: Alice Palmerim .Colaboradores: Crystofher Andrade
Fotos: Deco de França/Sepm
Secretaria de Estado da Comunicação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *