Consciência Negra: Macapá se prepara para a maior festividade de valorização da cultura afro


A maior manifestação cultural e religiosa dedicada às tradições afros inicia nesta segunda-feira, 18, no bairro do Laguinho. É a Semana da Consciência Negra e o XIX Encontro dos Tambores que vai reunir comunidades de raízes negras, mestres, jovens e crianças para as apresentações e valorização das tradições, danças costumes e crenças. Como todos os anos, a União dos Negros do Amapá, com o apoio do Governo do Estado, organizou uma programação atrativa para os oito dias de festejos, que termina no dia 25 de novembro.

Durante esta semana, todas as atenções estarão voltadas para o Centro de Cultura Negra do Amapá (CCNA), onde uma grande equipe finaliza os preparativos para a festa. Ervas para o banho de cheiro, frutas, tecidos coloridos, ensaios de candidatos, da banda e do coral que acompanha a Missa, tambores e caixas movimentam o bairro que se prepara para a recepção. “É um momento de confraternização que começa nos preparativos. Esperamos um ano para rever amigos e parentes, que moram em outras comunidades, e que se abraçam nesta semana abençoada”, disse Raimunda Ramos.

Desde que foi pensada, a Semana da Consciência Negra teve como foco a união dos povos, o resgate e a valorização das religiões de matriz africanas, e das danças que misturam o lúdico com a fé no Divino Espírito Santo, Santíssima Trindade, e outros santos. Todas as vertentes e simbologias destas tradições podem ser apreciadas no palco e no centro do anfiteatro do CCNA. Candomblé, umbanda, tambor de mina, marabaixo, batuque, zimba, tambor de crioula, sairé, são algumas das manifestações apresentadas e fonte de conhecimento para estudantes e população em geral.


A programação começa com os concursos A Mais Bela Negra (18) e O Mais Belo Negro (19). No dia 20 tem a tradicional Missa dos Quilombos, celebrada pelo padre Paulo acompanhado por pais e mães de santo. É o instante de fé e louvor, quando a missa cantada envolve todos os presentes. De 21 a 24 são os dias mais esperados, é quando acontece o Encontro dos Tambores, com as apresentações das 44 comunidades, com suas bandeiras e costumes. O último diz, 25, a União dos Negros do Amapá completa 27 anos, e para comemorar, shows com artistas locais e encerra com a banda Oludum. As programações acontecem sempre a partir das 20h.        

Mariléia Maciel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *