Covid-19: Amapá endurece medidas por 7 dias; Waldez fala em ‘lockdown’

Covid-19: Amapá endurece medidas por 7 dias; Waldez Góes fala em ‘lockdown’ — Foto: Victor Vidigal/G1

O governador do Amapá, Waldez Góes (PDT), anunciou que haverá medidas mais duras em relação a serviços não-essenciais a partir das 6h de quinta-feira (18). Segundo ele, o estado enfrentará um “lockdown”. O que será permitido ou não só será detalhado na quarta-feira (17), mas o gestor declarou que não será adotado inicialmente um rodízio de veículos, como houve em 2020.

O decreto, assinado na manhã desta terça-feira (16) em uma entrevista coletiva à imprensa, vale por 7 dias. O texto deve ser publicado no Diário Oficial do Estado ainda hoje.

As restrições contidas no decreto mais recente, que encerrou na segunda-feira (15), foram estendidas para esta terça-feira e quarta-feira. Portanto, seguem valendo o toque de recolher às 21h, a proibição do transporte fluvial interestadual e a Lei Seca (proibido o consumo em estabelecimentos e em logradouros público).

As medidas adotadas são uma forma de combater o avanço do novo coronavírus no estado, que está comprometendo o atendimento hospitalar e lotando os leitos clínicos e de UTI.

Conforme relatório epidemiológico produzido no domingo (14) e divulgado nesta terça-feira, o estado entrou na fase “roxa” de classificação de riscos, a mais grave, e que prevê “restrição máxima”.

Na semana passada, o secretário de Saúde chegou a anunciar que o sistema estava “à beira do colapso”, com dificuldade também em estrutura e profissionais. O próprio governador já havia declarado que não descartava adotar um “lockdown” diante da situação.

Confira a taxa de ocupação de leitos clínicos e de UTI em Macapá. As novas medidas são baseadas nos relatórios do Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (Coesp), que, segundo o governo, confirmaram aumento de internações e mortes pela Covid-19.

As novas regras de distanciamento e limitação no funcionamento de atividades econômicas e sociais foram discutidas pelo governo, prefeitura, comércio e órgãos de saúde e segurança.

Em maio de 2020, Amapá também viveu um lockdown no Amapá; foto mostra centro comercial — Foto: Victor Vidigal/G1

O estado já enfrentou restrições que foram chamadas de “lockdown” em maio de 2020. Na época, houve restrições mais severas de circulação de veículos e pessoas, e funcionamento somente de atividades essenciais.

O governador citou ainda que prevê distribuir 50 mil doses de vacinas contra a Covid-19 até o fim do mês; está prevista para quarta-feira a chegada de 9,6 mil doses da CoronaVac.

Na quarta-feira também serão anunciadas medidas na área social e econômica, como um novo Programa de Recuperação Fiscal (Refis) do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), prorrogação do recolhimento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e adiantamento do 13º salário do programa Renda para Viver Melhor.

Fonte: G1 Amapá.

  • Avatar

    A coisa tá feia e a população não colabora, não custa nada usar a máscara e manter o distanciamento, todos deveriam colaborar pra isso passar logo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *