Covid-19: Em audiência judicial, Estado assume compromisso de abrir mais 11 leitos de UTI no HU, nos próximos dois dias

Em audiência judicial virtual, realizada pela 4a Vara Cível de Macapá, nesta sexta-feira (12), o Estado do Amapá assumiu o compromisso de abrir, até domingo (14), mais 11 leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) no Hospital Universitário (HU), para pacientes com Covid-19. A audiência é resultado de Ação Civil Pública (ACP), ajuizada em maio do ano passado, pela Promotoria de Defesa da Saúde do Ministério Público do Amapá (MP-AP) e Defensoria Pública do Estado (DPE).

Na ação, MP-AP e Defensoria já apontavam a carência de leitos naquele período e a necessidade de ampliar a estrutura de atendimento dos pacientes com Covid-19 no Amapá, a fim de assegurar um atendimento adequado à população no curso da pandemia. “Infelizmente, embora estivéssemos alertando para uma segunda onda, as providências não foram tomada em tempo hábil e hoje padecemos novamente com carência de leitos”, reforçaram os promotores da Saúde, Fábia Nilci e Wueber Penafort.

Segundo o Sistema de Regulação do Estado, hoje, 11 pacientes aguardam internação em leitos de UTI e dois necessitam de leitos clínicos. Nos hospitais privados o quadro é o seguinte: dos 100 leitos do São Camilo, só 10 estão vagos; dos 24 do Hospital Central de Macapá, 6 vagos.

Outro grave problema é a carência de aparelhos de hemodiálise. No HU, somente três equipamentos estão em funcionamento. Sobre essa demanda, durante a audiência judicial, conduzida pela juíza Alaíde de Paula, o titular da Secretaria Estadual de Saúde (SESA), Juan Mendes, disse que, nos próximos 15 dias, outras duas máquinas de hemodiálise devem entrar em funcionamento, totalizando cinco.

Persiste, no entanto, a preocupação com a falta desse equipamento de hemodiálise em municípios, como Laranjal do Jari, o que obriga a transferência imediata de pacientes em estado grave para Macapá, aumentando, com isso, a fila por leitos no principal Centro Covid do Estado, instalado no HU.

A Promotoria da Saúde informou, ainda, que continua recebendo denúncias diárias de falta de insumos e medicamentos, como noradrenalina, sedativo, antibiótico de 3 e 4 geração e máscaras de alto fluxo, luvas, dentre outros.

Uma nova audiência foi designada para segunda-feira (15), às 10:30h, para apurar se as providências foram adotadas.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Ana Girlene
E-mail: [email protected]
Contato: (96) 3198-1616

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *