Covid-19: experiência de Macapá é tema de Webinário realizado pela Federação de Municípios do Estado de Sergipe e pelo Conselho Nacional de Municípios

Na última quarta-feira, 15, ocorreu a Live XL Webinário, realizado pela Federação de Municípios do Estado de Sergipe (Fames) e pelo Conselho Nacional de Municípios (CNM), onde a temática foi “Covid-19: vencendo a guerra na atenção primária. A experiência exitosa do Amapá”, onde o prefeito de Macapá, Clécio Luís, junto com o presidente do Comitê de Enfrentamento do Coronavírus no Estado, Pedromar Valadares, relataram sobre a utilização do protocolo terapêutico e os bons resultados que estão tendo no índice de letalidade.

O prefeito Clécio destacou que a decisão de adotar o protocolo terapêutico foi tomada mediante a apresentação do Comitê Médico, preocupados com a pandemia e como ela poderia ser tornar um caos no Amapá. “Fomos procurados por esse grupo de renomados profissionais da saúde do nosso estado, que estudava formas de combater esse vírus, foi apresentado esse conjunto de remédios e tratamento, que tinha estudo em vitro, para ser aplicado na fase inicial, nos primeiros sintomas, e que não são agressivos aos pacientes. Entre nada e uma possibilidade, e que não teria riscos para os pacientes, apostamos nessa tentativa para adotarmos na atenção primária de Saúde”, relata.

De acordo com o prefeito, a decisão foi tomada respaldada pelo Conselho de Medicina, pelo Ministério Público do Estado e em conjunto com o Governo do Amapá. “Como gestor, tive que tomar uma atitude diante da situação que nos encontrávamos. Achávamos que, devido à nossa localização geográfica, estaríamos mais protegidos da pandemia. Mas, infelizmente, não aconteceu, e o número de contaminados estava crescendo e estávamos preocupados com as perdas que teríamos, e assim deixamos ideologias e questões políticas de lado para conseguir salvar mais vidas”, ressaltou.

O Comitê Médico teve a missão de conversar com outros colegas médicos e buscar uma adesão ao uso do protocolo. Mas, de acordo com Pedromar Valadares, não houve obrigatoriedade. Todos adotariam se quisessem. “Reunimos os colegas da área de saúde para analisarmos estudos para encontrar um tratamento, pois sabemos que uma vacina levaria muito tempo para ser feita, e conversamos com vários colegas, pesquisadores. O nosso protocolo já vem sendo utilizado por vários colegas da área. Assim, aos poucos, fomos conseguindo que o protocolo fosse aceito”, informou.

A Prefeitura de Macapá iniciou oficialmente dia 20 de abril o protocolo em suas Unidades Básicas de Saúde, informando à população que nos primeiros sintomas procurasse as unidades de saúde, para assim receber o tratamento a tempo de não ter a doença progredida para fases mais graves. “Tínhamos todos os remédios na nossa rede de farmácia pública e, ao contrário que passavam para as pessoas em outros lugares, aqui pedimos para irem logo nos primeiros sintomas à UBS. Tivemos muita lotação, mas o tratamento vem dando resultados positivos, pois possuímos a maior taxa de incidência de Coronavírus [a cada 100 mil habitantes], mas com a menor taxa de letalidade [mortes causadas pela doença], desde que adotamos essa medida”, informou o prefeito.

Segundo o médico Pedromar, todo caso que parecesse Covid-19 fosse gripe, apenas era tratado como, pois não dava para aguardar o resultado para Coronavírus, que levava muito tempo e o paciente podia já se encontrar em fase mais grave da doença. “Buscamos evitar que os contaminados chegassem a precisar de respirador ou UTI”, destacou. O coordenador da Escola de Gestão da Fames, Jorge Teles, agradeceu ao prefeito Clécio e ao médico Pedromar, por estarem dividindo suas experiências com outros prefeitos e colegas da saúde e Justiça do estado de Sergipe. “Procuramos encorajar nossos prefeitos dos municípios de Sergipe com o relato de Macapá e agradecemos por nos relatarem todo esse processo e, principalmente, acreditar na ciência como resposta”, disse.

Clécio disse que valeu a pena apostar e os resultados do município de Macapá estão mostrando isso. Mas foi uma decisão que todos tomaram, a gestão, profissionais da saúde, população e o apoio dos órgãos da Justiça para que as perdas das vidas fossem um número menor, perto da quantidade de contaminados que poderiam nos deixar. “Cada vida é importante. Nossa batalha é por garantir que todos fiquem bem e que passemos por essa pandemia com poucas baixas”, ressaltou.

Secretaria de Comunicação de Macapá
Pérola Pedrosa
Assessora de comunicação
Fotos: Gabriel Flores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *