Curta-metragem quer prevenir suicídios entre jovens no Amapá

filme

Por Abinoan Santiago

Casos de suicídios e abortos entre jovens no Amapá motivaram a Federação Espírita do Amapá (Feap) a levar para escolas da rede pública de ensino medidas de prevenção contra as práticas. A entidade vai usar o curta-metragem “Agora Já Foi” para ilustrar o trabalho de conscientização nos colégios. O filme faz parte do projeto “Semeamar” e começou a ser gravado nesta terça-feira (27).

O curta usa a tentativa de aborto como ilustração de um possível suicídio. Ele é baseado na história de um casal de adolescentes que descobre a gravidez indesejada da menina. O filme aborda os temas nos eixos médico, psicológico e espiritualista.

“Vamos projetar o filme nas escolas públicas e depois debater o tema porque o estado tem grandes índices de suicídio, mostrando que o poder público não tem tratado como prioridade esse problema, o que fez a federação espírita levantar a discussão”, falou Felipe Menezes, produtor executivo do curta e presidente da Feap.

O filme tem participação de mais de 20 pessoas, entre atores, produtores, roteiristas e diretores. A realização conta com recursos financeiros de empresários, sem participação de entidades públicas. Segundo a produção, o custo total não deve passar de R$ 15 mil.

O diretor de elenco Thomé Azevedo destaca que durante a abertura de oficinas para participação na produção do filme, a maioria dos inscritos foi de pessoas do público alvo. “Muitos jovens se inscreveram logo quando lançamos as oficinas. Esse debate é muito forte no meio adolescente porque sempre existe um caso que conhecemos”, ressaltou.

Um dos personagens é interpretado pelo ator Breno Rhuan, de 20 anos. Ele avalia que a escolha de um elenco jovem vai ajudar no repasse da mensagem ao público alvo. “Tratamos de um tema sério, mas de uma forma que atraia os olhares da juventude. Esse processo de preparação dos atores auxiliou na maneira de interpretar os personagens”, disse.

Além de fazer parte de palestras em escolas públicas amapaenses, os criadores do curta-metragem pretendem inscrevê-lo em festivais de cinema a fim de propagar a produção audiovisual do Amapá ao restante do país.

Fonte: G1 Amapá

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*