Definições e indefinições políticas

                                                                                                      Por Elton Tavares

Waldez anuncia que tentará o senado. Pedro Paulo assume governo. Amanajás perde força e racha da base beneficia Lucas Barreto.
O governador do Amapá, Waldez Góes (PDT) anunciou (finalmente) ontem (30), na Associação dos Servidores da Companhia de Eletricidade do Estado (Aerc), durante uma reunião do Partido Democrático Trabalhista (PDT/AP), que deixará o governo, no próximo dia 03 de abril, para candidatar-se á uma vaga no senado Federal.

Boatos afirmam que os deputados amapaenses ficaram mordidos com a decisão do governador, que teria quebrado um suposto acordo, no qual ficaria até o fim de seu mandato, para fortalecer a candidatura do presidente da Assembléia Legislativa do Amapá (ALE/AP), deputado Jorge Amanajás (PSDB).

A saída do governador beneficia o seu vice, Pedro Paulo Dias (PP) – que talvez seja candidato ao governo do Amapá – que assumirá o comando do Estado. Aparentemente, Waldez ainda tem a grande dúvida. Quem apoiar? Amanajás ou Pedro Paulo?

Falando em dúvidas, me pergunto: quem a mídia local vai apoiar? O governador de plantão ou o aspirante ao senado? Afinal, eles adoram manipular o “povaréu” (risos).

Voltando ao cenário político, as definições e indefinições para o pleito 2010 mexem com todos. Com este racha da dita “harmonia” e enquanto a “oposição”, os Borges e o pessoal do PSB não definem nomes e nem alianças, quem deve estar rindo á toa é Lucas Barreto (PMDB), que já era um forte candidato ao governo do Amapá, imaginem com a crise interna da situação? Vamos esperar o desenrolar e ver quem ganhará essa parada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *