Deputados esvaziam sessão para evitar afastamento de Adauto Bitencourt

                                                                                                     Por Eduardo Neves

Plenário vazio – Foto: Eduardo Neves
O “mensalão da educação”, que envolve o desvio de R$200 milhões da Secretaria Estadual de Educação (SEED), teve mais um capítulo na manhã desta ontem ( 23), na Assembléia Legislativa do Amapá (ALE/AP). Tudo por conta da votação do requerimento de autoria do deputado estadual, Camilo Capiberibe (PSB/AP), que pede ao governador Waldez Góes (PDT/AP), o afastamento do secretário, Adauto Bitencourt.

Protocolado a última segunda-feira (22), o documento ganhou regime de urgência, após ser subscrito pelos deputados estaduais Ruy Smith, Ricardo Soares, Joel Banha, Jorge Amanajás, Moisés Souza, Meire Serrão e Leury Farias. Após a votação dos projetos de lei, a pedido do deputado Camilo, a pauta foi invertida ontem para que o requerimento pudesse ser votado em prioridade.

Contudo, no instante da votação os deputados da base governista, Joel Banha (PT/AP), Francisca Favacho (PMDB/AP), Ricardo Soares (PT do B/AP), Zezé Nunes (PV/AP), Paulo José (PR/AP), Meire Serrão (PMDB/AP), Keka Cantuária (PDT/AP), Jorge Salomão (DEM/AP) e Mira Rocha (PTB/AP), se ausentaram do plenário, retirando o quórum e impedindo a votação do requerimento.

Permaneceram no plenário os deputados Dalto Martins (PMDB/AP), Jorge Amanajás (PSDB/AP), Eider Pena (PDT/AP), Isaac Alcolumbre (DEM/AP), Michel JK (PSDB/AP), Alexandre Barcellos (PSDB/AP), Moisés Souza (PSC/AP), Rui Smith (PSB/AP), Leury Farias (PP/AP) e Camilo Capiberibe (PSB/AP).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *