Devaneio de hoje: Abril foi louco


Os dias cheios de trabalho passaram rápido. Muito trampo até o início da noite (algumas vezes, até mais que isso). Aliás, nas noites que fiquei em casa, pouco dormi. Abril foi louco. 

Trabalhei e me diverti mais que o possível e mais que o corpo aguenta. Tudo dentro do plano pirante elaborado dia após dia. Foi uma luta desigual (risos).

Salas de aeroporto, quarto de hotel, viagens literais e literárias. Sempre ao som do velho rock ‘n’ roll e birita com os amigos. Em abril foi muito veneno: uísque, cerveja e vodca. Enchi a cara durante o mês todo. 

É, cambaleei e redigi cartas que não enviei.Larguei tudo, terminei livros e escrevi pouco. Desisti. Como sempre, sobrevivi. É, “ainda somos os mesmos e vivemos”. Haja sorte!  

Alternância de euforia e tédio, brodagem e trairagem, paideguices e escrotices marcaram abril. Foi um longo mês, mas vencido. Assim como a primeira parte da adaptação. Maio será melhor e mais bonito, pois abril foi louco demais. 

Elton Tavares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *