Dois meses da feliz colisão

“Virei namorada de um amigo de longa data. Daqueles de idas e vindas na amizade. A reciprocidade de gênios se transformou na sintonia de sentimentos a mais”, disse ela, há um mês. Verdade, foi assim mesmo.

Ainda bem que rolou essa feliz colisão.

Bacana que não foi algo inventado do nada, apesar de surpreendente. Mais legal ainda que nunca é monótono, pois ela é uma figura.

Sou desajeitado, ela sabe fazer tudo certinho. Eu bagunceiro, ela toda organizada. E assim seguem os paradoxos. Esse negócio não tem fórmula mesmo, né?

Eu já tinha programado as férias antes da feliz colisão. Por conta disso, hoje tô longe dela, que tá trabalhando. Mas depois a gente vai celebrar juntos, seja com vinho em um restaurante ou cerveja na mesa do bar. A gente é assim e é firme demais!

São dois meses de intensidade. É tudo muito. Entre cuidados, loucuras, exaltação, trilhas sonoras, entre outras coisas que provoca taquicardia e bagunça todos os planos, a gente segue feliz. É piegas? É. Normal. Mas também é subversivo, marginal, sacana e a gente gargalha disso tudo.

Ela me propõe transgressões para melhor e provoca em mim as melhores sensações. A gente ri de tudo. Dos outros e de nós mesmos. A gente ri muito juntos. Eu adoro o fato de namorar com o Charles Bukowski de saia e salto alto. Volto a dizer, ela é uma figura!

Eu nem esperava mais encontrar nesta encarnação o que vivo com a Bruna. Não existe nada igual. É um enredo cinematográfico do melhor de nós, pois é assim que somos um com o outro: bons, amorosos e grudentos.

Eu, jornalista, tinha o sonho de ser escritor e me tornei um. Agora namoro com a publicitária mais criativa, engenhosa e inteligente que conheço. Pensem numas conversas porretas, sem nenhuma modéstia.

A gente se permitiu. Não estamos racionando afetos, cuidados, dengos ou economizando declarações de amor. Sim, a gente tá um nojo. E graças à feliz colisão.

Elton Tavares

  • Amo vocês! Desde o primeiro encontro eu cantei essa pedra! Que felicidade enorme em vê-los um nojo… é o melhor nojo do mundo! Não vejo a hora de encontrá-los, abraçá-los e bebermos juntos! Que aconteça logo esse reencontro! Sempre estaremos aqui por vocês!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *