É preciso ser honesto, não somente com os outros, mas consigo mesmo


Fico olhando gente fingindo nas redes sociais, em mesas de bar, nos eventos sociais, em distintas rodas e galeras. Logo penso: mas que bando de hipócritas filhos da puta!

Carrego vários rótulos nas minhas costas largas: brigão, egoísta, ciumento, rancoroso, entre outros tantos títulos escrotos. Muitos com razão de ser, mas muitos é injustiça, inclusive de muita gente que já precisou de mim e foi ajudado. 

Não se trata da critica pela critica. Afinal, cada um faz da sua vida o que bem entender e não é da conta de ninguém. É que a verdade (a minha, claro) distorce da realidade que muitos insistem em pregar e querem que a gente creia nisso. 

Tem de tudo, puta metida a santa; cão metido a anjo; maluco disfarçado de careta criticando maluco; vadio sustentado pelos pais dando uma de trabalhador; birola homofóbico; corno apaixonado exaltando a mulher; fofoqueiros compulsivos falando mal do cicrano para o fulano e do fulano para o cicrano; bêbados chatos dando trabalho para quem sabe beber; goteiras; mal amadas; panemas que não pegam nem gripe; intelectuais coxinhas e por aí vai. 


Não que eu ligue. Não ligo. Mas esse povo querer pagar de arautos da moralidade, bons costumes, dignidade e exemplos de amizade sincera é osso. É puro aprimoramento de escrotice, falsa arrogância, pouca atitude e muita falta de autoconfiança.

No julgamento destes “nobres e felizes” figuras, fui julgado e condenado. E dou risada por tudo isso. Minha consciência segue tranquila, pois sempre fui literal quanto ao meu comportamento e honestidade para com todos. 

É tanta gente elegendo ídolos idiotas somente porque pagam cervejas ou lhes proporcionam farrinhas repletas de medíocres similares. Patético. Ah, dê o exemplo, especialmente quando tratar de crianças. É com vocês que os pequenos aprendem o que é certo e errado. 

Só acho que pensamentos negativos só produzem maus resultados. Conheço meus defeitos incorrigíveis e faço tudo para não prejudicar ninguém. Faça por si mesmo, pare de falar merda.

É preciso ser honesto, não somente com os outros, mas consigo mesmo. Apesar dessas desprezíveis fofocas, dou o recado: sigo feliz e não desejo mal a nenhum de vocês. E fim de papo. 

Elton Tavares
Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*