Égua-moleque-tu-é-doido: Obra em hidrelétrica rompe e alaga parte de Ferreira Gomes

ferreira-gomes-1

Dezenas de residências no município de Ferreira Gomes (a 105 quilômetros de Macapá) já foram atingidas pelo transbordamento do Rio Araguari depois que uma “ensecadeira” se rompeu na última quarta-feira, 6, na construção da hidrelétrica de Cachoeira Caldeirão, na cidade vizinha de Porto Grande (30 quilômetros separam as duas cidades). A Defesa Civil do Estado confirmou que o Araguari já está mais 2 metros acima do nível normal.Enchente-em-Ferreira-Gomes (1)

A ensecadeira é uma espécie de muro que desvia o curso do rio para que haja uma área seca onde outras construções podem ser realizadas. Uma dessas ensecadeiras se rompeu possivelmente por causa das chuvas que fizeram o nível do Araguari subir.

As causas do alagamento em Ferreira Gomes ainda não ficaram muito claras. Uma das possibilidades é de que com o rompimento da ensecadeira, a hidrelétrica da Ferreira Gomes Energia (que já está em funcionamento) tenha aberto as comportas para aliviar a pressão sobre sua barragem, o que teria encaminhado uma grande quantidade de água em direção à cidade de Ferreira Gomes.

Dezenas de casas no Bairro Beira-Rio, em Ferreira Gomes, estão com água acima dos assoalhos e o nível continua subindo. Prédios públicos já teriam sido atingidos, como a sede do Ministério Público e o prédio do Fórum. A água passou por cima do muro de arrimo da cidade.ferreira-gomes-orla

A Defesa Civil enviou no início da tarde desta quinta-feira, 7, dezenas de militares para a área atingida. “Ainda não sabemos as causas, mas a água está descendo com muita velocidade para a cidade. A régua que usamos lá já está em 4,20 metros, mais de 2 metros acima do normal”, explicou o coordenador da Defesa Civil do Amapá, Janary Picanço. “Só nas próximas 24 horas teremos um quadro da real situação”, acrescentou.

Fonte: SelesNafes.Com

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*