Eleições 2020. TRE/AP avalia como positivo a realização do pleito municipal nos 15 municípios do Amapá

O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) avaliou como positivo a realização das eleições nos 15 municípios do estado, realizadas neste domingo (15). Com a pandemia do coronavírus, diversas medidas foram implementadas pelo Superior Tribunal Eleitoral (TSE) para serem respeitadas na hora da votação.

Segundo o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE/AP), desembargador Rommel Araújo, a Justiça Eleitoral do Amapá não registrou nenhuma ocorrência nesse sentido, todos os eleitores, respeitaram a orientação quanto ao uso de máscara, distanciamento social, utilização da caneta e higienização das mãos no momento da votação. “Os eleitores idosos, puderam votar com tranquilidade, respeitando o horário preferencial das 7h às 10h, e os mesários estavam devidamente equipados com os EPIs que o TSE encaminhou para garantir a segurança de todos nos locais de votação” destacou.

Os eleitores de Macapá (AP) não foram às urnas neste domingo, mas a capital vai realizar eleição ainda este ano. O adiamento do pleito em Macapá foi determinado pelo TSE, atendendo a um pedido TRE do Amapá.

No balanço realizado pelo TRE/AP, 672 urnas eletrônica foram utilizadas nos 15 municípios do estado. Foram registradas 11 substituições: 4 em Santana, 3 em Cutias, 2 em Porto Grande, 1 em Ferreira Gomes e 1 em Pedra Branca do Amapari. Das 1.200 baterias encaminhadas pelo TSE, apenas o município Vitória do Jarí, utilizou 15 baterias.

Quanto a finalização da apuração das eleições 2020, os números para a prefeitura de Santana, 2º maior colégio eleitoral do estado, ficaram assim: Bala Rocha, foi eleito com 21.340 votos o que equivale a 36,45% dos votos válidos. Em segundo lugar ficou o candidato Orfiney Sadala, que recebeu 15.197. Professora Marcivânia ficou em terceiro com 11.233 votos, seguido por Dilson Borges 5.433, Rarison Santiago 1.878 , Professor Serginho 1.744, Tenente Luiz 1.066, Professor Rai 352, e Mauricio Medeiros, com 307 votos.

Nas outras 14 cidades do Amapá: em Vitória do Jari, Ary Duarte venceu a eleição com 2.707 votos (35,63%). Na cidade Laranjal do Jari, Márcio Serrão foi eleito com 13.111 votos (66.66%)

Em Calçoene, Reinaldo Barros foi eleito com 2.046 votos (35,32%). Em Mazagão venceu para prefeito Dudão Costa com 5.781 votos (43,62%). No município de Cutias do Araguari, Professor Amanajás foi eleito com 1.860 votos (45,75%). Em Ferreira Gomes, Divino Rocha foi eleito com 2.282 votos (47,50%), No município de Pedra Branca do Amapari, Beth Pelaes venceu o pleito, com 4.192 votos (57,21%). Na cidade de Serra do Navio, Elson Belo foi eleito com 1.135 votos (37,68%).

Em Tartarugalzinho, Bruno Mineiro venceu a eleição com 3.567 votos (45,91%). No município de Pracuúba, Junior Leite foi eleito com 1.023 votos (33,59%). Na cidade de Itaubal, Serafim foi eleito com 2.208 votos (36,20%).

Na cidade de Oiapoque a disputa foi acirrada, apenas 3 votos separaram o candidato eleito Breno do Miguel do Posto 2.962 (25,73%), da 2º colocada Maria Orlanda 2.959 votos (25,71%).

Em Porto Grande, Bessa ficou em primeiro colocado com 3.306 votos (33,32%), porém uma observação, a candidatura de Bessa está anulado sub judice. Na segunda colocação ficou Elielson Moraes com 2.662 votos (26,83%). No município de Amapá, Carlos Sampaio foi eleito com 3.195 votos (62,37%).

Abstenção de Votos

Nos 15 municípios do estado do Amapá 49.569 eleitores não compareceram as urnas, o equivalente a um índice de 22,09%, levando em conta que o pleito foi realizado em meio a uma pandemia, que já deixou um rastro de mais de 165 mil mortos.

Foi verificado também que 2.226 eleitores votaram em branco e 5.049 votam nulos.

Problemas na totalização (Fonte TSE)

De forma transparente, o presidente do TSE explicou o atraso na totalização dos resultados. Segundo Barroso, o núcleo de processamento do equipamento que processa os votos apresentou alguns problemas técnicos e foi preciso repará-lo.

De acordo com Barroso, as urnas eletrônicas não estão conectadas à rede mundial de computadores, o que significa que não são vulneráveis a nenhum tipo de ataque cibernético. “Os dados coletados após o término da votação são reunidos e enviados ao TSE por meio de um sistema privado da Justiça Eleitoral. Não é possível fraudar uma urna eletrônica”, pontuou.

Sobrecarga (Fonte TSE)

A respeito do e-Título, o presidente do TSE reforçou que o sistema funcionou da forma esperada no seu papel de identificação do eleitor. No entanto, apresentou sobrecarga e instabilidade na funcionalidade de justificativa.

Durante todo o dia da votação, cerca de três milhões de pessoas baixaram o aplicativo, com um total de mais de 13 milhões de downloads.

Sobre críticas ao voto digital e a um eventual retorno ao voto impresso, o presidente do TSE afirmou que o sistema de votação de um país é uma decisão democrática coletiva, lembrando que há muitos anos o Brasil resolveu fazer a votação por meio de urnas eletrônicas, modelo que elegeu todos os presidentes da República nos últimos 24 anos sem qualquer comprovação de fraude. Para o ministro, o retorno ao voto em papel é algo que não atende ao melhor interesse público.

Segurança

Conforme relatório da Policia Militar, durante todo o dia 15, trabalharam para garantir a segurança dos eleitores, aproximadamente 911 profissionais, homens e mulheres do efetivo das forças de segurança estaduais, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar e Polícia Civil.

Foram apuradas ainda, denúncias de compras de votos e transportes de eleitores nos seguintes locais: Foz do Rio Mazagão, bairros Nova Brasília, Elesbão, Igarapé da Fortaleza e Central. Todas as denúncias realizadas através do número de emergência 190.

Quanto aos crimes eleitorais, a Policia Militar registrou casos de transporte de eleitores no município de Santana, uso de celular na cabine de votação em Serra do Navio. A Polícia Federal registrou também a prática de boca de urna em Santana e Ferreira Gomes e Vitória do Jari. Já no município de Oiapoque 5 pessoas foram conduzidas pela Policia Federal pela prática irregular de divulgação de propaganda de partido político ou de seus candidatos.

Energia Elétrica

A Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), relatou que nos dias 14 e 15 de novembro, foram estabelecidas medidas de atendimento em 100% dos municípios do interior, incluindo a região metropolitana, atingidos pelo apagão de 0 hora do dia 14, até as 24h do dia 15, completando 48 horas sem racionamento.

Foi mantido o rodízio de cargas somente na capital, uma vez que as eleições foram adiadas. A CEA informou ainda que houve pequenas ocorrências isoladas em alguns municípios como Vitória do Jari, Pedra Branca do Amapari e Oiapoque e que as mesmas foram tratadas pelas equipes extras disponibilizadas, antes do domingo, dia das eleições, sem prejuízo ao pleito eleitoral.

Serviço:

Fernanda Picanço
Assessora de Comunicação
Tribunal Regional Eleitoral do Amapá
(96)3198-7504 (Ramal 7504)/ (96)98406-5721

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *