Eleições 2022: MP Eleitoral e forças de segurança do Estado combatem práticas ilícitas na votação do 2º turno

Durante todo o processo para as Eleições 2022, o Ministério Público Eleitoral (MPE) com a Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Civil e Polícia Militar do Amapá (PM/AP) estiveram alertas para evitar crimes eleitorais em todas as 16 cidades amapaenses, por meio da fiscalização que teve continuidade no 2º turno de votação, no domingo (30). Com a ajuda das denúncias enviadas pela população ao Disque Denúncia do MPE, as equipes trabalharam na averiguação e abordagens, com o objetivo de garantir a lisura do pleito para garantir a vontade popular.

Disque denúncia

Pelo Disque Denúncia, as equipes do MP Eleitoral receberam e averiguaram denúncias sobre possíveis práticas ilícitas, mas nenhuma resultou comprovada, após verificação nos locais denunciados. A maioria foi referente às seções de votação.

MP Eleitoral

O Centro de Apoio Operacional Eleitoral (CAO Eleitoral), sob a coordenação do promotor de Justiça, Ricardo Crispino, deu suporte aos membros do MP-AP com atribuições no MP Eleitoral.

“Tivemos um 2º turno com votação rápida e tranquila, com o eleitor amapaense tendo que escolher apenas um candidato à presidência do Brasil. O apoio da procuradora-geral de Justiça, Ivana Cei, foi fundamental para que o trabalho dos promotores Eleitorais transcorresse da melhor forma durante todo o processo das Eleições 2022”, afirmou Crispino.

A fiscalização foi realizada pelos promotores Eleitorais com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Núcleo de Investigação do MP (NIMP) e Gabinete Militar do MP-AP, bem como das forças de segurança.

Em Macapá, atuam como titulares da 2ª e 10ª Zonas Eleitorais, Lindalva Jardina e Luiz Marcos da Silva, tendo como auxiliares: 2ª ZE, Vinícius Carvalho e Christie Girão; 10ª Zona, Klisiomar Lopes e Fábia Nilci.

Nos municípios, atuaram os promotores Eleitorais: Horácio Coutinho, Santana (6ª Zona); Manoel Edi, Amapá, Pracuúba e Calçoene (1ª Zona); Fábia Regina Martins, Mazagão (5ª Zona), Hélio Furtado, Oiapoque (4ª Zona); Saullo Patrício, Laranjal do Jari e Vitoria do Jari (7ª Zona); Thaysa Assum, Tartarugalzinho (8ª Zona); Fabiano Castanho, Pedra Branca e Serra do Navio (11º Zona); Rodrigo Assis, Porto Grande e Ferreira Gomes (12ª Zona).

A atuação dos membros neste 2º turno contou com o reforço dos promotores eleitorais auxiliares: 1ª Zona, Davi Zerbini; 4ª Zona, Benjamin Lax; 6ª Zona, Gisa Veiga; 7ª Zona, Eduardo Kelson; 12ª Zona, Miguel Angel Ferreira.

“Atuamos com empenho para coibir ilícitos nas Eleições 2022. Foi um trabalho sólido e coeso para uma eleição transparente para garantir a soberania do voto do eleitor. Agradecemos às nossas equipes de membros, servidores e agentes de segurança que contribuíram para o sucesso da fiscalização do pleito para um processo eleitoral seguro”, manifestou Ivana Cei.

Participaram das atividades neste 2º turno, o subprocurador-geral de Justiça para Assuntos Administrativos e Institucionais, Nicolau Crispino, o chefe de gabinete da PGJ, Paulo Celso Ramos, o secretário-geral do MP-AP, Alexandre Monteiro, e a promotora de Justiça Gláucia Porpino. O superintendente da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), Júlio César Ferreira Pereira Júnior, compareceu no Complexo Zona Sul, também fazendo fiscalização do pleito.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Texto: Elton Tavares e Luiz Felype Santos
Coordenação Núcleo de Imprensa – Elton Tavares
Gerente de Comunicação – Gilvana Santos
E-mail: [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *