Em meio a dezenas de protestos, apagão no Amapá chega ao 17º dia – Égua-moleque-tu-é-doido!!

O 17º dia do apagão no Amapá inicia com o registro de mais 6 protestos contra as falhas no fornecimento de energia. Nesta quinta-feira (19), o estado também deve receber a visita do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e mais uma comitiva.

Entre as 17h40 de quarta-feira (18) e 1h desta quinta-feira, a Polícia Militar registrou 4 atos em Santana, e 2 em Macapá. Desde o dia 6 de novembro, os protestos têm ocorrido diariamente. A corporação já contou pelo menos 110 manifestações por conta da crise energética.

Além disso, uma comitiva de órgãos ligados ao setor elétrico chega ao estado, após o segundo blecaute, que ocorreu na terça-feira (17). O estado enfrenta uma crise no abastecimento de energia há mais de duas semanas, após um incêndio atingir a principal subestação do estado no dia 3 de novembro.

Segundo Albuquerque, chegam ao estado secretários do Ministério de Minas e Energia (MME), representantes do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e da Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

“As razões para os desligamentos estão sendo verificadas e a apuração de responsabilidades será realizada, com todo o rigor, pelos órgãos competentes”, divulgou o MME, através de nota.

Foto: https://bsbnoticias.com.br/

Motivo do novo apagão

Na quarta-feira, o ONS informou que o novo apagão pode ter ocorrido no momento da “energização” de uma linha de transmissão. Entretanto, a energização, momento em que começa a passar eletricidade por uma linha, não teria sido, a princípio, a causa do desligamento.

Segundo a Eletronorte, geradores termelétricos, movidos a combustível, devem começar a funcionar no sábado (21).

Apagão no Amapá chega ao 17º dia — Foto: Albenir Sousa/Rede Amazônica

‘Paciência’

Também na quarta-feira, a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) informou que, com a ativação dos geradores termoelétricos, o rodízio no estado será suspenso e que ainda é possível ocorrer interrupções em horários de pico.

O diretor do órgão pediu “paciência” à população: “[A companhia] tem uma fragilidade, ela é real, mas ela tem feito um esforço. Preciso que o consumidor tenha paciência”.

Fonte: G1 Amapá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *