Embrapa Amapá abre inscrições para curso de manejo de quelônios

A Embrapa Amapá recebe inscrições, de 7 a 18 de agosto, para o curso “Manejo produtivo de quelônios de água doce em cativeiro”, a ser realizado nos dias 22 e 23 de agosto de 2017, no auditório da instituição de pesquisa, em Macapá (AP). O curso é gratuito e tem como público-alvo extensionistas, agentes e líderes comunitários e aquicultores que atuam ou têm interesse no cultivo de quelônios, com ênfase em tracajás. São oferecidas 20 vagas. De acordo com a coordenadora e instrutora do curso, pesquisadora Jamile da Costa Araújo, o objetivo principal é capacitar multiplicadores em manejo produtivo de quelônios de água doce cultivos para fins comerciais. A programação constará de apresentações teóricas e procedimentos práticos, pela manhã e à tarde, abordando legislação, espécies e suas características, contenção física, instalações, sistemas de produção, bem-estar e comportamento animal, sanidade e controle produtivo. A parte prática do curso será realizada na Unidade Demonstrativa instalada na área da Embrapa Amapá.

A oferta deste curso faz parte das atividades do projeto “Produção de tracajá em cativeiro como alternativa sustentável para o desenvolvimento amazônico” (AmapaJá), financiado pelo Banco da Amazônia por meio de edital de seleção pública publicado pelo banco para apoio financeiro, com o objetivo de apoiar atividades de pesquisa científica e tecnológica que contemplam transferência de tecnologias. Desenvolvido pela Embrapa Amapá, o projeto é voltado para sistema de produção comercial do tracajá (Podocnemis unifilis) em cativeiro na Amazônia. A pesquisa desenvolve ações para atender ao objetivo de estabelecer e aprimorar índices zootécnicos, desenvolver tecnologias e capacitar multiplicadores para produção de tracajá em cativeiro. Para isso, envolve uma equipe técnica e de apoio, e acadêmicos bolsistas, empenhados em estudos da produção e aprimoramento de índices zootécnicos e avaliação de rendimento de carcaça de tracajá; estratégias de comunicação e capacitação; implantação de Unidade Demonstrativa, e estudo de mercado de produtos oriundos do tracajá. “As atividades do projeto Amapajá estão sendo executadas em ritmo acelerado. Atualmente, três experimentos estão em andamento, uma dissertação já foi defendida, e acabamos de concluir a estrutura de uma Unidade Demonstrativa (UD) de produção de tracajá em fase inicial. Temos previsão de instalar mais duas UDs até o fim de 2018. Além disso, ainda este ano vamos realizar três cursos e um seminário”, anunciou a pesquisadora Jamile Araújo.

O tracajá é uma das espécies mais capturadas para consumo na Amazônia brasileira – integrando a lista de animais vulneráveis à extinção -, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza e a Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Fauna e da Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção. Além de ser a espécie mais apreendida pelo órgão fiscalizador de tráfico de animais silvestres, no Amapá (2005 a 2009), totalizando 35,55% das apreensões. Este fato demonstra o alto grau de uso desta espécie pela população no estado, a qual consome a carne e ovos destes animais de vida-livre, comprometendo de forma drástica a manutenção dos estoques naturais.

Uma espécie com boa condição para criação em cativeiro, o tracajá é de fácil adaptação às condições de manejo de criação e de boa aceitação pelos consumidores. A produção comercial em cativeiro pode ser uma alternativa para reduzir o tráfico, gerar renda para as comunidades e contribuir para a preservação da identidade cultural das mesmas, já que consumir esta espécie faz parte da cultura amazônica. Entretanto, este hábito cultural encontra-se ameaçado por conta das restrições legais de uso desse recurso natural, visando sua proteção, pois apesar da produção comercial desta espécie ser autorizada, não há dados que subsidiem o sistema de produção. Visando contribuir para o desenvolvimento do sistema de produção comercial de tracajá, o projeto da Embrapa objetiva elucidar o comportamento de crescimento, densidade de estocagem, manejo nutricional (exigência proteica e restrição alimentar) e medidas de bem-estar animal na produção desta espécie, além de estudar o potencial de comercialização dos produtos oriundos deste sistema de produção, e do potencial econômico e nutricional.

SERVIÇO:

Curso “Manejo produtivo de quelônios de água doce em cativeiro”.
Inscrições: 7 a 18 de agosto de 2017, exclusivamente pela internet: https://goo.gl/forms/oP6x3JDuQHy9p7s33

Período do curso: 22 e 23 de agosto de 2017
Local: Embrapa Amapá

Mais informações: cpafap.amapaja@embrapa.br
Telefones: (96) 3203- 0282 / 98144-7995.

Dulcivânia Freitas, Jornalista DRT/PB 1063-96
Núcleo de Comunicação Organizacional

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*