Embrapa apresenta inovação para cultivo de mandioca no Amapá

Com o objetivo de encaminhar inovações na cadeia produtiva da mandioca no estado do Amapá, a Embrapa Amapá, Sebrae Amapá e Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR) promovem uma oficina de trabalho nos dias 17/6 (sexta-feira) e 18/6 (sábado), com atividades na sede do Sebrae em Macapá (AP) e instalação de uma Vitrine Tecnológica no Campo Experimental da Embrapa (Km 43 da BR-210), respectivamente.

Durante os dois dias do evento, representantes de associações e cooperativas de agricultores, extensionistas rurais e agentes envolvidos com o Programa Estadual de Produção Integrada (PPI) debaterão sobre inovações na sustentabilidade da cadeia produtiva da mandioca e o protagonismo da agricultura familiar no estado do Amapá.

Na manhã da sexta-feira, 17/6, serão destacados temas como a importância da inovação tecnológica na sustentabilidade da cadeia produtiva da mandioca no Amapá e o empreendedorismo social como promotor da inovação. Também será apresentado um case de sucesso com empreendedorismo na produção de mudas de qualidade de mandioca, pelo engenheiro agrônomo e investidor Benedito Dutra. No segundo e último dia da oficina, será realizada, durante a manhã, uma atividade no Campo Experimental da Embrapa (Km 43 da BR-210) visando implantar uma Vitrine Tecnológica da Mandioca com novas variedades e inovações para cultivo.

Rede Reniva

O chefe geral da Embrapa Amapá, Antonio Claudio Almeida de Carvalho, será um dos palestrantes da oficina. Ele ressalta que a proposta da Embrapa para promover inovação tecnológica no cultivo da mandioca é implementar o Projeto Reniva no Amapá, agregando os diversos elos da cadeia produtiva. Trata-se de um sistema de multiplicação e transferência de maniva-semente de mandioca com garantia de sanidade e qualidade genética, criado na Embrapa Mandioca e Fruticultura (Cruz das Almas/Bahia).

“Equipes de pesquisa e técnicos da Embrapa Amapá já estão desenvolvendo atividades correlatas ao cultivo de mandioca, visando prover ganho efetivo em qualidade e produtividade no sistema de produção de mandioca no estado do Amapá”, acrescentou Antonio Claudio. O trabalho objetiva a coleta de materiais superiores de mandioca em cada região do Amapá, com a implantação de mudas no Campo Experimental de Mazagão; e a implantação de um jardim clonal de manivas-semente de mandioca com qualidade genética e fitossanitária já recomendadas e validadas pela Embrapa, no Campo Experimental do Cerrado.

Mudança na forma de plantio

Entre os benefícios da metodologia Rede Reniva estão cultivares livres de doenças e pragas, manivas de plantas de mandioca para multiplicação em larga escala, validação de genótipos de mandioca em diversos ambientes, e resgate de variedades tradicionais de mandioca.  Uma planta madura de mandioca gera cerca de dez manivas-semente e, com as técnicas de multiplicação do Reniva, esse número poderá chegar a 400 mudas. A inovação é a mudança na forma de plantio da maniva (caule da mandioca). Em vez de enterrar todo o caule-semente de forma desordenada no solo, e de uma só vez, o projeto Reniva orienta a cortar esse caule por etapas, replantando a semente para que ela se multiplique. Além do ganho de produtividade e qualidade no sistema de produção da mandioca, o Reniva proporciona sustentabilidade e competitividade para a cultura ao disponibilizar manivas em quantidade suficiente e nos períodos de maiores demandas, em função das melhores épocas de plantio.

Curso on –line

Para os interessados em capacitação na metodologia Reniva, uma oportunidade é o curso on-line oferecido pela Embrapa, destinado especialmente a técnicos agropecuários e produtores rurais de todos os estados do Brasil. O curso é gratuito e as inscrições podem ser feitas neste link: https://www.embrapa.br/e-campo/reniva

Dulcivânia Freitas, Jornalista DRT/PB 1063-96

Núcleo de Comunicação Organizacional

Embrapa Amapá
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
Macapá/AP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.