Empreendedores populares dos residenciais de Macapá participam de qualificação em Educação Financeira


Com o intuito de disseminar educação e conscientização financeira entre empreendedores, a Prefeitura de Macapá e a Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) promoveram na tarde de sexta-feira, 8, a capacitação Educação Financeira, destinada aos empreendedores populares dos residenciais São José, Açucena, Mucajá e Mestre Oscar, além de funcionários da educação municipal.

“O que queremos é que as pessoas vivam bem nos nossos habitacionais, sejam nos que construímos e entregamos, nos que estamos construindo agora e também no Mucajá, onde estamos fazendo um trabalho de recuperação. Resolvemos trabalhar com eles a educação financeira, seja para sair de dívidas, seja para fazer bons investimentos, para empreender, pois não há outra saída para a economia e para o sucesso individual das pessoas do Amapá se não pela via do empreendedorismo. Por isso, essa palestra, voltada para esses empreendedores, que querem e que têm interesse em ter noção dessa área financeira e empreendedora, assim como para os nossos professores da rede municipal de ensino, para que possam aplicar essa estratégia nas escolas públicas municipais”, explicou o prefeito Clécio.

A proposta do encontro foi orientá-los e disseminar educação e conscientização financeira entre os empreendedores para que possam, a partir desta experiência, melhorar e gerenciar de forma mais consciente e lucrativa suas finanças, seja no âmbito individual, familiar ou empreendedora. “A atividade faz parte do trabalho social que vem sendo desenvolvido pelo Município junto aos empreendedores populares desses residenciais; e visa trabalhar com as famílias não só a questão da educação financeira no âmbito geral, mas também o empreendedorismo, como investir os recursos e gerenciar os lucros”, destacou a coordenadora do Comitê Gestor do Minha Casa, Minha Vida, Mônica Dias.

Para o presidente da Associação Brasileira dos Educadores Financeiros e palestrante da capacitação, Reinaldo Domingos, a educação financeira afeta diretamente no bom ou mal desenvolvimento do negócio, dependendo de que forma ela é aplicada. A orientação é válida também para a aplicação na vida pessoal. “A nossa ideia é empoderá-los no início de um movimento de mudança de comportamento em relação ao que eles ganham e ao que gastam, tanto o que faturam nos seus negócios quanto o que gastam; e trazer um novo modelo mental de como lidar com esse recurso financeiro, e como não os misturar”, disse.

“Trabalho há anos nesse segmento junto com minhas filhas. Essa capacitação veio para nos ajudar a ter ainda mais sucesso no que a gente faz. Hoje, eu consigo ter esse controle nas minhas finanças, mas acredito que todo conhecimento que possa nos ajudar a melhorar isso vem a contribuir para que possamos melhorar. Sairemos daqui com mais conhecimento e mais consciência de como melhorar ainda mais”, relatou a artesã Hedigleuma Katilcy.

Karla Marques
Assessora de comunicação/PMM
Fotos: Max Renê

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *