Escolas Bosque do Amapá e Canal do Guimarães: MP-AP realiza quarta audiência com as Secretarias da Educação, de Infraestrutura e a comunidade do Bailique

Na quarta-feira (8), a Promotoria de Justiça de Defesa da Educação (PJDE) e o Centro de Apoio Operacional da Educação (CAO-EDU) realizaram a quarta audiência com a Secretaria de Estado da Educação do Amapá (Seed), Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinf) e representantes do Arquipélago do Bailique para buscar alternativas sobre as problemáticas estruturais das Escolas Bosque do Amapá e Canal do Guimarães. Desde 2016, a primeira vem sendo destruída pela erosão, que é um fenômeno natural de desgaste do solo provocado pela força da maré, e, a segunda, destruída pelo fogo.

Presentes a diretora da Escola Bosque, Cynthia Darlei; o líder comunitário, Renivaldo Cordeiro; os professores Denise Figueiredo e Glauber Oliveira; o engenheiro civil da Seed, Marcelo Gurjão; o arquiteto e urbanista da Seinf, Wlissys Oliveira; a gerente educacional da Seed no Bailique, Priscila Cordeiro e as Equipes da PJDE e do CAO-EDU.

Encaminhamentos

Após o promotor de Justiça Roberto Alvares abrir a audiência, o arquiteto Wlissys Oliveira apresentou o plano de construção do que será a nova Escola Bosque. “A atualização do projeto Escola Bosque foi realizada em cima de algumas recomendações feitas pela Seed, para funcionar como uma escola de ensino integral. O planejamento contempla a inclusão de alguns laboratórios, parte de vestiário, a ampliação da área de refeitório, cozinha e adaptação na quadra. O próximo passo é fazer a solicitação do levantamento da topografia da área e concluir o projeto arquitetônico. Posteriormente, realizar os encaminhamentos, efetuar o orçamento e os trâmites legais para a licitação da obra”.

“Fizemos a liberação do recurso do Proem (Programa Escola Melhor) para fazer a construção provisória do assoalho, bem como, o levantamento e a produção de uma ata de registro de preço para fazer a conclusão dos serviços, como pintura, cobertura e construção do forro”, informou o engenheiro Marcelo Gurjão.

Esperança

A diretora Cynthia Darlei expressou contentamento pela apresentação do novo plano da unidade escolar. “Atenderá todas as necessidades da comunidade do arquipélago. A proposta apresentada foi da proporção que esperávamos. Nós vamos atender a nossa clientela de estudantes e a comunidade como sempre acolhemos”.

“Torna-se cada vez mais concreto o sonho da gente ter a nossa nova Escola Bosque, no Bailique, para atender a nossa população. Observamos que as situações de algumas pendências já foram resolvidas. O avanço é muito bom”, ressaltou o líder comunitário, Renivaldo Cordeiro.

“A esperança é poder caminhar com a Escola Bosque e ajudar no que for possível para que esse projeto seja concluído e que a gente tenha novamente a alma do Bailique que é a Escola Bosque”, manifestou a gerente Priscila Cordeiro.

O titular da Promotoria de Defesa da Educação e coordenador do Centro de Apoio Operacional da Educação, promotor de Justiça Roberto Alvares, manifestou que “durante a quarta audiência com a Secretaria de Estado da Educação do Amapá, Secretaria de Estado da Infraestrutura e os moradores do Arquipélago do Bailique, foi possível perceber o enorme avanço das instituições para resgatar à vontade da população do Bailique, no sentido de, em tendo a Escola Bosque pronta, poder permanecer no seio habitando no seio da comunidade, já que ali mesmo receberão suas formações técnicas e poderão desenvolver suas atividades profissionais, bem como vê-se o renascimento da alegria e da esperança, até pouco tempo fugidias”, iniciou.

“Muita coisa precisa ser feita para adequar as unidades aos anseios da comunidade escolar daquele Distrito. A Promotoria de Justiça de Defesa da Educação acompanha o caso, redobradamente atenta, realizando as devidas orientações às Secretarias e à Comunidade, para que as Escolas sejam entregues à população o quanto antes”, concluiu o membro do MP-AP.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Núcleo de Imprensa
Coordenação: Gilvana Santos
Texto: Luiz Felype Santos
E-mail: [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.