Escreva, Elton, escreva (devaneio de quinta)

Sabem, quando eu trabalhava no Portal Amazônia (2008), aprendi que internet é velocidade da informação. Durante o curso de webjornalismo, me ensinaram que é necessária a atualização diária de uma página eletrônica e, se possível, mais de uma vez ao dia.  Quando este blog foi criado, no final de 2009, lembrei dos ensinamentos do PA e comecei a postar cada vez mais conteúdo aqui, coisas sérias e besteiras. Foi assim que adquiri esse lance de me cobrar escritos.

Nesta página, publico tudo que me dá na telha, a blogagem é um vício legal. Tento informar e divulgar Cultura, coisas interessantes, além de besteiras que me agradam, sempre tentando pontuar as coisas de forma diferente, fugindo das mesmices, modinhas, fofoquinhas políticas e papos furados. Sempre tentando usar o cérebro e também o coração.

Eu escrevo de improviso, sempre e nunca planejo o que vou escrever aqui, somente na hora que sento diante do computador é que vem a inspiração ( e muitas vezes ela não dá as caras). Quem dera que bastasse querer e baixasse o espírito de Rui Barbosa ou outros gênios e mestres da escrita.

Não gosto de discutir o sexo dos anjos, mas perco tempo com disparates legais sim, além de disparar minha opinião sobre qualquer coisa, doa a quem doer. O problema são os questionadores que não entendem que este blog é meu, portanto, sou responsável pelo que escrevo aqui e não pelo que você entende e não to nem aí se vão gostar ou não.

Afinal, tenho os meus valores, conceitos (preconceitos), bobagens, crenças, conhecimentos, problemas em entender que as coisas não são preto no branco como deveriam ser, dificuldade para deixar pra lá quando agredido (sim, eu vou a forra sempre).  É bom para o estado de espírito. Mas quando erro, acreditem, é tentando acertar.

Resumindo, diminui a freqüência de meus textos por aqui, a média era de pelo menos um por dia. Espero retomar logo os escritos da sessão “Eu por mim mesmo”.  Mas este espaço está aberto para qualquer divulgação de Cultura em todas as suas vertentes, é só mandar por e-mail.

Continuarei postando aqui o que me der vontade, mas nunca uma mentira. Como dizem no velho Latim : Verum, dignum et Justus Est! (É verdadeiramente digno e Justo). A não ser que seja algo engraçado e tão absurdo que ninguém acredite. No mais, esse testículo foi só para matar a coceira dentro da minha cabeça que diz: “escreva, Elton, escreva!”

Elton Tavares
Compartilhe isso!

Deixe um comentário

Commentários
  1. Ricardo Ribeiro

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*