Eu tenho chatofobia

                                                                               Por Elton Tavares
Silvio Santos, um dos caras mais chatos da TV.

De tanto ler sobre fobias, preconceitos e outras ligas tortas, cheguei a conclusão que tenho “chatofobia”. Vou explicar, eu adoro pessoas legais, como a maioria dos meus amigos, pois de chato, já basta eu. Observo as variações destes tipinhos inconvenientes. Vou descrever alguns que lembro neste momento, superficialmente, claro.


O metido gaiato, que é sem graça e vive fazendo piadas ridículas. O “superprofissional”, que julga todos incompetentes e só ele é bom. O sabidão, que é metido a saber de religião, futebol, carnaval, política, história e não aceita a opinião dos outros.
 

Muricy Ramalho, técnico competente, mas chato pra caralho.

Ah, mas ninguém barra os politicamente corretos, defensores ferrenhos de gays, negros e do meio ambiente. E os Falsos moralistas, que primam pela moral e os bons costumes, que em alguns casos são grandes hipócritas. Com certeza, estes tipos são os piores. Pois não riem de piadas legais, porque enxergam preconceito e descaso em tudo.

Nerds que acham todo o resto do mundo estúpido, mas tudo que sabe da vida é teoria e nada de prática, é um merdinha desprovido da malacagem. Os chatos lisos, que são pobres soberbos e só querem andar com que tem o vil metal. Alguns jornalistas, advogados e policiais, que acham que só porque exercem suas funções profissionais, estão acima do bem e do mal. Grandes merdas.
 

Lulu Santos, músico talentoso, mas uma mala. 

Sem falar em idiotas que se empolgam com cargos de confiança, sem se tocarem que podem ser demitidos do dia para a noite. Os fiscalizadores, que aguardam a todo o momento que você erre (como um certo colega de profissão que cata erros de português ou concordância dos outros, só para disfarçar sua mediocridade).

Os sempre mau humorados, que já acordam cuspindo fogo para todos os lados. E também os que só reclamam da vida, pensando que tudo de ruim só acontece com eles.

Tem também os enxeridos, fofoqueiros (tudo bem, todo jornalista é meio fofoqueiro). Mimados, eu se melindram com qualquer criticazinha, enfim, acho que chato mesmo sou eu, por não suportar frescurinhas, burrice, conversa fiada e pobreza de espírito.
 

Figuras assim são atrasos de vida, só trazem cansaço, aporrinhação e ainda te atrapalham. Mas infelizmente temos eu conviver com eles da melhor forma possível. Não se trata de uma pretensa superioridade em relação a este tipo de pessoa, mas tem neguinho que não tem o mínimo de noção. Sim, eu assumo, tenho chatofobia aguda.


Apesar destes patetas que descrevi aí em cima, minha vida é muito legal e eu dou risada deles. Tenham todos uma ótima sexta-feira!
Compartilhe isso!

Deixe um comentário

Commentários
  1. André Mont`Alverne
  2. Marcelo Guido
  3. André Mont`Alverne
  4. Marcelo Guido
  5. Anonymous
  6. Elton Tavares
  7. Anonymous

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*