Exposição de grafismos marca o mês de celebrações aos povos indígenas no Amapá

O Governo do Estado deu início a uma série de exposições sobre a identidade cultural das etnias indígenas do Amapá e Norte do Pará. A programação teve início na quarta-feira, 19, com projeção gráfica no monumento do Marco Zero do Equador.

A secretária dos Povos Indígenas, Simone Karipuna, ressalta que a data é simbólica, de resistência e de luta em todo o país, e que no Amapá não é diferente, com uma população de 11 diferentes povos que formam quatro regiões no estado.

“Não somente no mês de abril, mas ao longo de todo o ano, é destacar a importância de os povos indígenas saírem da invisibilidade e de toda a comunidade conhecer e entender a nossa realidade. Iniciamos esse trabalho com a projeção do grafismo indígenas, ocupando esse espaço, para mostrar que existimos e dizer que chegamos até aqui”, reforça a secretária.

Quem passava pelo local pôde avistar de longe o trabalho dos artistas Keyla Palikur e Yemollay Karipuna projetados em um dos principais cartões-postais do estado, que retrata um pouco da história, da identidade e da cultura dos povos indígenas.

A programação é coordenada pela Secretaria Colegiada dos Povos Indígenas (Sepi) e a Secretaria de Estado da Cultura (Secult), e ficará visível até o dia 22 de abril.

“Hoje é um dia muito especial porque a gente conseguiu trazer para a programação do Abril Indígena essa atividade mais que especial, trazendo as expressões de artistas Indígenas, que trabalham com artes visuais e através de suas arte retrata um pouco da identidade de seus povos”, destaca a secretária de Cultura, Clícia Di Miceli.

Texto: Karla Marques
Foto: Israel Cardoso Jr./GEA
Secretaria de Estado da Comunicação – SECOM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *