Família do Mestre Pavão, mesmo após incêndio, cumpre palavra e realizam o Ciclo do Marabaixo

Mestre Pavão e dona Vadoca

Na divisão dos bairros Laguinho e Jesus de Nazaré, a família do Mestre Pavão dá continuidade à tradição do Ciclo do Marabaixo, e começa a preparar o festejo, seguindo a orientação deixada pelo pai antes de falecer. “Estamos cumprindo a palavra dada quando papai se despediu da família, e mesmo com a tragédia do incêndio, quando perdemos uma casa, vamos realizar o Ciclo do Marabaixo neste ano”, afirma Mônica Ramos, filha de Raimundo Lino Ramos, conhecido como Mestre pavão.

20

A família, descendente direta do pioneiro do Marabaixo, Julião Ramos, se reúne para organizar a programação, e, a partir do Domingo de Páscoa, abrirá as portas da casa do patriarca, falecido em 2009, para receber os convidados e visitantes, que festejam a Santíssima Trindade e o Divino Espírito Santo. Rodadas de marabaixo, missa, novenas, bailes, refeições e a famosa distribuição de caldo e gengibirra, estão na programação do Ciclo, que é realizado desde o início do povoamento de Macapá. Atualmente na zona Norte, o Ciclo do Marabaixo é festejado na casa da Tia Biló, filha de Julião, e no Pavão.

33Julião Ramos, que era avô de Mestre Pavão, junto com pioneiros como dona Gertrudes, saíram com as famílias do centro de Macapá, quando a cidade se expandiu, e foram povoar os bairros Laguinho e Favela, para onde levaram as rodas de marabaixo e os costumes da festa, que tem fundamentos no catolicismo. Felícia Ramos, filha de Julião Ramos e mãe de Mestre Pavão, dividiu com os irmãos a responsabilidade dar continuidade à tradição, e repassou para os descendentes.

38“Papai era apaixonado por nossa cultura e gostava de contar histórias de menino, quando o marabaixo era dançado na frente da Igreja São José, e ainda se jogava a Carioca e faziam as comidas dos antigos. Preservamos ao máximo estes costumes, assim como a memória de nossos antepassados. Se depender da nossa geração e das futuras, as coroas do Divino e da Santíssima continuarão a ser louvadas e os mastros levantados. Nossa fé é inabalável, estamos reconstruindo a casa que queimou e vamos fazer o Ciclo até o final”, garante Mônica Ramos.

PROGRAMAÇÃO

– 27/03 – de 16h à meia-noite
Abertura
Marabaixo da Ressureição
– 18 à 22/04 – de 16h às 18h28
Palestras em escolas públicas e privadas
– 30/04 – de 9h às 12h – Sábado do Mastro
Retirada do Mastro no Curiaú
– 01/05 – de 9h às 2h da manhã
Domingo do Mastro – 2º Marabaixo
– 04/05 – de 16h às 6h de da Quinta-Feira da Hora – Levantação do Mastro do Divino
3º Marabaixo da Murta do Divino Espírito Santo
– 05/05 – 19h
Início do novenário do Divino Espírito Santo
– 06/05 – de 21h às 4h
1º Baile dos Sócios do Divino Espírito Santo
– 13/05 – 19h
Início do novenário da Santíssima Trindade
– 13/05 – de 21h às 4h
2º Baile dos Sócios do Divino Espírito Santo
– 15/05 – 7h
Missa do Divino Espírito Santo – Igreja Jesus de Nazarépavão-218x300
– 15/05 – de 16h às 6h
Marabaixo da Murta – Levantação dos Mastros da Santíssima
– 16/05 – de 21h às 4h
1º Baile dos Sócios da Santíssima Trindade
– 20/05 – de 21h às 4h
2º Baile dos Sócios da Santíssima Trindade
– 22/05 – 07h – Domingo da Santíssima Trindade
Missa da igreja Jesus de Nazaré. Logo após, café da manhã na casa do festeiro.
– 29/05 – de 16h à meia-noite
Derrubada dos mastros

Mariléia Maciel
Assessoria de Comunicação – Associação Folclórica Marabaixo do Pavão
Fotos: Marileia Maciel – Marabaixo do Pavão

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*