Faroeste Caboclo vira filme

Elenco do filme

A música “Faroeste Caboclo” (o mega sucesso do rock brasileiro), da lendária banda Legião Urbana e escrita pelo saudoso compositor Renato Russo, vai virar filme.

O elenco começou a ser definido. A produção, que marca a estréia em longa-metragem de René Sampaio, diretor de curtas e de publicidade, escalou Fabrício Boliveira, Ísis Valverde e Felipe Abib como protagonistas.

Fabrício Boliveira, que atuou no filme “400 Contra 1″ e na novela “A Favorita”, será João de Santo Cristo, que, na letra da música, deixa sua terra natal rumo a Brasília (DF), onde vira bandido e enfrenta Jeremias, o traficante mais poderoso da cidade, interpretado por Felipe Abib, do filme “180º”.

Santo Cristo também se envolve num romance com Maria Lúcia, que será vivida por Isis Valverde, a Marcela da novela “Ti-Ti-Ti”, em sua estréia no cinema.As filmagens vão acontecer em Brasília, berço da Legião Urbana e devem começar nos próximos meses.

A canção é de difícil execução, devido ao tamanho da letra: 159 versos. A harmonia e o ritmo, contudo, são extremamente simples. A duração é incomum para uma canção popular (9’03”).

Capa do disco “Que país é este”
Na época de seu lançamento, a canção foi censurada, junto com Conexão Amazônica, do mesmo disco, mas por razão diferente: a presença de palavrões, enquanto “Conexão” foi censurada por causa da temática, sobre o tráfico de drogas. Porém, em “Faroeste”, foi feita uma edição onde se colocou um sinal sonoro sobre os palavrões. Com isso, a música foi liberada para radiodifusão.

“Eu acho legal que as pessoas gostem da história. Um motorista de táxi, outro dia, me disse que tinha um amigo que comprou a fita porque era, exatamente, a história do irmão dele. O cara tinha saído de Mato Grosso e ido a Brasília, e morreu num tiroteio no Nordeste. E a canção é totalmente fictícia” – Renato Russo – 1988

“Acho que Faroeste Caboclo é uma mistura de Domingo no Parque de Gilberto Gil, e coisas do Raul Seixas com a tradição oral do povo brasileiro. Brasileiro adora contar história. E eu também queria imitar” – Renato Russo – 1988

Meu comentário:

Eu, como todos os garotos de Macapá e do Brasil, nos esforçávamos para aprender a letra da música no final da década de 80. A história envolve sexo, drogas, rock and roll, política, amor, traição e ouras situações que um grande roteiro de cinema precisa para um grande filme.

Os malucos da cidade sabem, todos já conhecemos um “Jeremias, maconheiro sem-vergonha, que fez todo mundo dançar”. Aguardo o filme ansioso.

Elton Tavares


Fontes: http://pipocamoderna.mtv.uol.com.br/, Wikipédia, Yahoo e minhas lembranças de adolescente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *