Fãs realizam tributo Engenheiros do Hawaii hoje

Por Jéssica Alves


Como forma de homenagear o aniversário de 27 anos de atividades da banda Engenheiros do Hawaii (que atualmente está em pausa), completados no dia 11 deste mês, fãs amapaenses preparam para essa quarta-feira (18), em evento tributo ao grupo considerado o maior expoente do rock gaúcho e um dos grandes nomes da cena nacional.

O evento é intitulado de “Engenheiros do Hawaii cover – Sala Vip”, em alusão uma das canções do grupo, presente no álbum “Várias Variáveis”, de 1989 e ocorrerá a partir das 19h, no auditório do Museu da Imagem e do Som (MIS), localizado no segundo piso do Tearo das Bacabeiras. 

Os organizadores do evento ressaltam que acontecerá pontualmente, devido a limitação de espaço no auditório do Museu. A entrada é gratuita. Bandas levarão cerca de 27 canções, entre sucessos e outras que compõem a história da banda

A banda

Formada em 11 de janeiro 1985 na cidade de Porto Alegre (RS), Engenheiros do Hawaii já é uma das marcas registradas da música gaúcha. Nessa data o jovem estudante Humberto Gessinger fez sua primeira apresentação. Na época, a faculdade de Arquitetura que Gessinger frequentava estava em greve e as aulas foram estendidas até o início de 1985.

A fim de amenizar a situação, a faculdade decidiu promover um evento cultural, de modo que os estudantes da faculdade mostrassem o que sabem sobre arte.

Os estudantes de Arquitetura Humberto Gessinger, Carlos Maltz, Marcelo Pitz e Carlos Stein(Hoje membro do Nenhum de Nós), decidiram entrar neste evento, formaram então um banda. 

O nome da banda surgiu a partir de uma rixa que a galera de Arquitetura tinha com o povo de Engenharia. Daí, os estudantes de arquitetura decidiram fazer uma brincadeira, com seus “rivais” da engenharia. Colocaram o nome da banda de “Engenheiros do Hawaii”, como zuação ao pessoal da engenharia que usava umas roupas de surfistas e andavam com pranchas de “enfeite” nos carros..

O evento ocorreu em 11 de janeiro de 1985, no terraço da faculdade de arquitetura. O repertório era composto por músicas próprias e de outros artistas. A foto ao lado mostra o cartaz de apresentação do evento, ou seja, o primeiro evento em que Engenheiros do Hawaii subiu ao palco.

A partir daí, as apresentações se multiplicaram, pois a banda conquistou o público, e a sua pegada rapidamente atingiu o patamar do rock nacional efervescente da década de 80, graças a participação da banda na coletânea “Rock Grande do Sul”. Algumas alterações ocorreram até a chamada clássica composição da banda: GLM (Gessinger, Licks e Maltz).

Mas após vários albuns juntos, o trio iniciou separação e até 2007, Gessinger permaneceu como único membro original do Engenheiros. Após a turnê do álbum “Novos Horizontes”, inicou o projeto Pouca Vogal, ao lado de Duca Leidenecker (Cidadão Quem).

Verdadeiros clássicos foram compostos, em suas várias formações, como “Toda Forma de Poder”, “Refrão de Bolero”, “Pra Ser Sincero”, “Somos quem Podemos Ser”, “Infinita Highway”, “Eu que não Amo Você”, “A Promessa”, “O Exército de Um Homem só”, “A Montanha”, “Até o Fim”, entre outros.

Ou seja, uma data importante para o rock brasileiro, pois o Engenheiros do Hawaii sempre será lembrada por novos ou velhos fãs como um grupo que sempre mantevesse fiel a sua proposta de efetivamente fazer um rock de qualidade e verdadeiro, independente de apoio da mídia e da massa. O Eng Haw manteve sua chama ironica e de protesto, que cativou e ainda cativa muitos jovens.

Serviço:

Dia: 18 de Janeiro de 2012 (hoje)
Local: Sala de Imagem e Som do MIS (Teatro das Bacabeiras)
Horário: 19:00 h
ENTRADA FRANCA

Fonte: Jornal Extra Amapá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *