Feliz aniversário, Bruno Jerônimo!

417283_103914926405246_1060006186_n

Hoje aniversaria o pai da Moara, produtor, militante da cultura, fã de Rock and Roll, apoiador do audiovisual, além de velho e querido amigo, Bruno Jerônimo. Conheci o cara em meados de 1999, como o “filho do Lula”, um velho amigo do meu falecido pai. Pernambucano, o cara é um fervoroso torcedor do “isporti”. Sim, Brunão é um cabra da peste e dos brabos.

Certa noite, lá pelos idos de 2001, em que eu estava decidido a arrebentar de porrada um cara que ele acompanhava, disse: “tu és filho do Lula, então rasga, pois essa parada não é contigo”(naquela época eu era um tanto “marginal”).

10922848_779474125438954_5600046226526842711_n

Lula e Bruno, os Jerônimos. Dois amigos. Foto: Elton Tavares.

De lá para cá, Brunão foi se tornando, com o perdão do gerundismo, um amigo cada vez mais importante. Mas se engana quem pensa que a amizade deste figura é baseada somente em festas. Quando precisei do Bruno (ele sabe exatamente quando) o cara se fez presente e lutou por mim. Serei eternamente grato por isso.

Bruno foi meu chefe e me deu apoio. Nunca mudamos nossa relação por conta do trabalho, o que foi muito legal. O respeito que tenho por esse cara é grande, pois ele valoriza os brothers.

Ah, quando esse cabra resolve “falar umas verdades”, saia de perto, pois o bicho vai pegar. Tudo porque o cara é autêntico, franco e verdadeiro (assim como eu) e por conta disso, recebe críticas dos que pisam na bola e se melindram ao levar merecidas cagadas. Por isso, já tivemos algumas discussões e embates. Nada que tenha arranhado nossa amizade.

Bruno, republico este texto há dois ou três anos, pois a nossa amizade é exatamente assim. Não importa se estamos por cima ou por baixo, se não tomamos umas juntos há meses ou se falam mal de mim pra ti ou de ti pra mim, a gente é brother, amizade mesmo. Tu sabes que, se o bicho pegar, pode contar comigo.

brunoj-jpg22

Com o Brunão, em 2008.

Mano, nunca esqueço de você. Espero que a gente volte logo a sair juntos como no tempo do Trovão Azul (risos). Sinto falta daqueles tempos.

Apesar das nossas divergências sobre pessoas, situações ou visão de mundo, que não são muitas, nossa amizade não tem “semiclausfaustia”. Desejo tudo de melhor pra você, mano velho. Saúde e sucesso sempre!

Elton Tavares

*Texto republicado, mas de coração. 

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*