Festival de cinema amapaense chega a sua XV edição – O FIM está próximo!

A primeira semana de dezembro é um período especial para os amantes da 7ª arte no Amapá. Nela, há 15 anos, Macapá se transforma na capital do cinema na Amazônia e vira destino de filmes produzidos em diversos lugares do país que superam as fronteiras de seus estados para chegarem ao FIM, o Festival Imagem-Movimento, evento que nasceu em 2004 e se reinventou até se transformar no festival de cinema mais antigo da Região Norte do Brasil.

A abertura oficial do evento acontecerá no próximo dia 02/12, domingo, às 19h, com a já tradicional Mostra da Muralha, que há doze anos realiza uma projeção de filmes em tela gigante montada nas muralhas da Fortaleza de São José de Macapá.

A programação segue no dia 03/12, segunda-feira, no Auditório Mestre Oscar do Centro de Educação Profissional de Música Walquíria Lima a partir das 18h30. Todas as mostras realizadas pelo Festival são com entrada franca.

A partir do dia 04/12, terça-feira, até o dia 07/12, sexta-feira, a programação exibirá longas-metragens à tarde no Cine Imperator 3D do Villa Nova Shopping e à noite as mostras se concentrarão no auditório Mestre Oscar.

Terra em sangue

Com o mote “terra em sangue”, a edição deste ano faz uma homenagem aos 50 anos – completados em 2017 – do clássico filme do Cinema Novo, Terra em Transe, de Glauber Rocha e, ao mesmo tempo, faz uma crítica à exploração de petróleo na foz do Rio Amazonas, a maior reserva de água doce do mundo, cuja prospecção está em fase de pesquisa, mas as áreas de exploração já foram leiloadas pela Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Prêmio Gengibirra de Audiovisual

Esse ano, 15 produções amapaenses disputarão entre si a 4ª edição do Prêmio Gengibirra de Audiovisual, que é concedido ao filme melhor avaliado pelo voto popular e pelo júri técnico do FIM. O nome da premiação é uma referência à bebida característica do Marabaixo, manifestação cultural amapaense de matriz africana que é marcada por músicas (ladrões), dança e vestimentas próprias.

Pela primeira vez, ao longo das 15 edições do FIM, o Amapá é o Estado que mais inscreveu trabalhos no evento, superando inclusive São Paulo, que tradicionalmente sustenta os melhores números nesse quesito.

O aumento de inscrições do Amapá fez com que a curadoria do FIM dividisse a Mostra Fôlego!, que é dedicada a produção local, em duas sessões, nos dias 6 e 7/12.

Gambiarra – a festa do FIM

Para encerrar a maratona audiovisual que tomará conta da cidade, o Festival realiza a Festa Gambiarra. Nela, bandas autorais, cartunistas, artistas circenses e de diversas outras linguagens terão espaço para interagir com o público e celebrar mais uma edição do FIM. O encerramento do evento acontecerá no dia 8/12, a partir das 19h, no Quintal Cultural Walô 54.

O ponto alto da festa será a divulgação do vencedor do 4º Prêmio Gengibirra de Audiovisual que leva para casa R $ 1.000,00 de incentivo e um troféu cujo desenho é de autoria do artista plástico paraense, Aog Rocha.

Fonte: FIM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *