Fratura de Anderson Silva (Gif)


O brasileiro Anderson Silva passou quase seis meses sendo criticado e escutando que não deveria ter provocado tanto Chris Weidman, quando foi nocauteado pelo americano no UFC 162, em julho, em Las Vegas. O que mais o incomodava era a frase: “Você pode provocar, mas não deve esquecer que precisa lutar”.

Na madrugada deste domingo, outra vez em Las Vegas, no UFC 168, ele enfim voltou ao octógono, mas estava diferente: lutava com seriedade, sem baixar a guarda, tentando não dar margem para uma nova surpresa. Mas a estratégia foi por terra de uma forma que ninguém seria capaz de imaginar: Anderson Silva tentou um chute baixo, acertou em cheio o joelho de Weidman e fraturou a perna esquerda, sendo forçado a abandonar o combate. 

O maior lutador da história do MMA saiu do octógono numa maca, com a perna imobilizada. A interrupção aconteceu no início do segundo round. Weidman segue campeão, mas a grande dúvida agora é sobre o futuro de Anderson: será o Spider capaz de voltar de uma contusão tão séria? Enquanto os fãs se faziam essa pergunta na saída da MGM Grand Garden Arena, o maior ídolo brasileiro das lutas era levado num hospital próximo ao hotel. 

Anderson foi submetido a uma cirurgia no local da gravíssima contusão. A direção do UFC  informou que o procedimento foi bem-sucedido e corrigiu as fraturas na tíbia e na fíbula, e que agora o ex-campeão dos pesos médios vai passar por um período de recuperação que varia entre três e seis meses.

Fonte: Portal Veja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *