Gaeco do MP-AP e Polícia Civil prenderam preventivamente um pastor investigado por suspeita de crimes sexuais

Na última sexta-feira (19), o Ministério Público do Amapá (MP-AP), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/AP), e a Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DCCM) da Polícia Civil (PC), deram cumprimento a mandado de busca e apreensão e de prisão preventiva do pastor Jeremias Magno Barroso, acusado de crimes sexuais por várias jovens.

A coordenadora do GAECO/MP-AP, promotora de Justiça Andréa Guedes, e a delegada Marina Guimarães coordenaram a ação, com apoio da delegada Sandra Dantas, que culminou na prisão do pastor que é acusado de crimes como violação sexual, mediante fraude e importunação sexual, por mulheres que frequentavam a igreja evangélica onde ele fazia pregação.

Pastor Jeremias Magno Barroso no momento da prisão.

Com base em um dos inquéritos, o pastor foi denunciado pelo Ministério Público por violação sexual mediante fraude, quando a vítima é induzida ao erro, pensando que é para seu bem. Há, ainda, outros inquéritos instaurados na DCCM em relação a mais duas vítimas.

O GAECO/MP-AP participou das investigações com a Polícia Civil, por se tratar de uma averiguação complexa, com diversas vítimas e pelo fato dos crimes terem acontecido há algum tempo e, ainda, por serem daqueles que não deixam vestígios.

Pastor Jeremias Magno Barroso nega acusações

O pastor Jeremias, após a prisão preventiva na DCCM, foi encaminhado para exames na Polícia Técnico-Científica (Politec) e, logo após, deverá ser levado para o Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen).

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Gilvana Santos
E-mail: [email protected]
Contato: (96) 3198-1616

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *