Galeria Trokkal reabre com exposição coletiva “Nosso Lugar”

“É muito bom saber que podemos contar com esse espaço democrático”, disse a artista plástica Alinne Brito na reabertura da Galeria Trokkal, na terça-feira, 8, na Praça Veiga Cabral, Centro de Macapá. O espaço, dedicado às artes plásticas, está com a exposição coletiva “Nosso Lugar”, que possui mais de 30 obras de artistas amapaenses.

A exposição já passou pelo Senado Federal e tem mais de 30 obras, possui técnicas de óleo sem papel, óleo sobre tela, acrílica sobre tela, assemblagem, mista, colagem sobre madeira, colagem sobre madeira e acrílica sobre Eucatex.

“Nesse momento em que muitas coisas estão sendo censuradas, ter mulheres em um cenário como esse é sinal de resistência. É muito bom saber que podemos contar com esse espaço democrático, para que a gente possa aliviar essas dores do cotidiano”, frisou Alinne Brito, que possui obra na galeria.

O espaço estava fechado para pequenos reparos que incluíram pintura, iluminação cênica e manutenção no sistema elétrico e de refrigeração. A galeria dedicada às artes visuais é mais uma opção dos artistas amapaenses exporem seus quadros, fotografias, objetos, esculturas e outros projetos.

“Essa reabertura significa muito, porque esse espaço homenageia um artista, o saudoso mestre Trokkal. E também porque fica em uma praça pública para o povo apreciar nossas obras”, destacou o artista plástico Josaphat.

Quem foi prestigiar a abertura gostou do espaço e também da exposição. A professora Edilene Nery se apaixonou pelas obras que retratam o dia a dia do amapaense. “Eu gostei muito, especialmente das obras que retratam a pedra do guindaste e o nosso açaí. São situações locais que remetem exatamente ao nosso lugar, como diz o nome da exposição”.

A exposição tem obras expostas dos artistas Cláudio Muniz, Rodrigo Cid, Coaracy Fonseca, Alinne Brito, Afrane Távora, Jeriel, Jorron, Joel Sousa, Wagner Ribeiro, Grimualdo Barbosa, Alesandra Vilhena, Ecenildo, Will Cruz, Mapige Gemaque, Silvia Marília, Miguel Arcanjo, Mário D’Souza, Beto Peixe, Dekko Matos, Marconi Silva, Ernandes Melo, Naty Muniz, Célio Souza, César Cabral, Josaphat, J. Marcio, Ralfe Braga, F. Damasceno, Egidio Gonçalves e obras do próprio Mestre Trokkal.

“Para a Prefeitura de Macapá, isso é bem mais que ceder espaço aos nossos artistas, é também oportunizar a toda a população macapaense a apreciar as artes plásticas em um espaço acessível e público”, ressaltou a diretora-presidente da Fundação Municipal de Cultura, Marina Beckman.

Mestre Trokkal

A galeria homenageia Raimundo Hosana de Oliveira, conhecido como “Mestre Trokkal”. Ícone e pioneiro das artes plásticas no Amapá, ele aprendeu a profissão aos nove anos, quando mudou-se com seus pais para uma casa próxima a do seu avô materno, o professor na arte cerâmica José Damião Hosana. Trokkal se dedicou a arte e aprendeu a trabalhar com argila. Aos 13 anos, havia dominado o segredo da Arte do Ceramista.

Mestre Trokkal, como era conhecido, trabalhou na Olaria Territorial em Macapá. Fez carreira no estado e ensinou muitas gerações, sendo um dos fundadores da Casa do Artesão. Estava aposentado da Escola de Artes Cândido Portinari, onde exercia suas funções como professor de Escultura. Aos 81 anos, Mestre Trokkal faleceu em 5 de setembro de 2018.

Cássia Lima
Assessora de comunicação/Fumcult
Fotos: Max Renê

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *