GEA alinha ações para realizar Reforma Administrativa no Amapá

                                                                                                      
                                                                                                  Foto: Márcia do Carmo.
O governador do Amapá, Camilo Capiberibe, reuniu-se, nesta quarta-feira, 5, no Palácio do Setentrião, com o coordenadores de projeto da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Maurício Costa e Marcus Vinícius Rodrigues. Durante o encontro, os técnicos da FGV apresentaram projetos para a reorganização administrativa do Estado. A ação visa a implantação do novo modelo de gestão no Amapá, com a reestruturação das secretarias e autarquias do governo.

Os projetos foram pedidos pelos gestores da Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Tesouro (Seplan), Juliano Del Castilo Silva, o presidente da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), José Ramalho, o secretário de Estado da Administração (Sead), Antônio Kleber dos Santos e o diretor da Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa), Ruy Smith. Todos eles presentes na reunião.

A FGV apresentou quatro projetos para a apreciação do governador, dois para a Sead, que consiste na reestruturação de todos os órgãos estaduais e o de conformidade (auditoria e solução de possíveis irregularidades) da Folha de Pagamento. Um para a Seplan, o qual será feito uma projeção para 20 anos, que identificará o viés econômico do Estado e os setores que possuem potencial para o desenvolvimento neste setor no Amapá.

E um para a CEA, em que a FGV auxiliará na implantação do modelo de gestão já elaborado pelos técnicos da Fundação. Neste caso, os servidores da estatal passarão por treinamentos, ministrados pela instituição contratada, e poderão continuar o monitoramento das ações da empresa, mesmo após o encerramento dos trabalhos da FGV na autarquia amapaense.

Contratos de risco
A Fundação também propôs dois contratos de risco com a Caesa e CEA, sem nenhum custo para o Estado, para o equilíbrio da parte tributária das duas empresas e uma possível diminuição das despesas das mesmas com encargos.

Análise
As propostas passarão pela avaliação do governador e toda a sua equipe técnica, e a resposta será dada à Fundação em poucos dias.

De acordo com Camilo Capiberibe, a FGV possui especialistas que formularão mecanismos para dar suporte aos órgãos estaduais em ações, como corte de gastos, investimentos e melhoria da gestão pública.

“Precisamos garantir mais eficiência no atendimento a população, com o menor custo possível, sem sacrificar os serviços ou conquistas de qualquer ordem. Queremos um Estado enxuto e reorganizado, assim estes procedimentos ficarão mais ágeis. Contamos com o apoio da FGV para nos auxiliar neste processo”, disse Camilo Capiberibe.

Elton Tavares
Assessor de comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*