Geladeiras viram bibliotecas itinerantes para compartilhar leitura e livros em Macapá

Biblioteca móvel em formato de geladeira foi entregue aos moradores de residencial popular em Macapá (Foto: Rede Amazônica/Reprodução)

Por Rita Torrinha

Uma geladeira transformada em biblioteca móvel foi entregue nesta quarta-feira (30) aos moradores do conjunto São José, na Zona Sul de Macapá. A proposta é estimular a leitura e a prática de adotar e cuidar de um livro.

A iniciativa é da Fundação Municipal de Cultura (Fumcult) que diz que este foi o projeto-piloto. Outras unidades estão previstas para serem instaladas nos residenciais Jardim Açucena e Mestre Oscar, e também em UBSs e áreas de pontes.

O modelo é simples, trata-se de uma carcaça de geladeira que, em vez de ir para o lixo, é reutilizada, ganha cores e fica recheada de livros dos mais variados títulos da literatura infantojuvenil, adulto e revistas em quadrinhos.

Proposta da ‘geladeiroteca’ é estimular a leitura, em especial em crianças e adolescentes (Foto: Rede Amazônica/Reprodução)

No lançamento nesta quarta-feira, a “geladeiroteca” foi instalada no gramado de um dos blocos do residencial. Mas a proposta é fazer com que ela circule por diferentes pontos, explicou a diretora-presidente da Fumcult, Marina Beckman.

“A biblioteca itinerante ficará aos cuidados da associação de moradores do São José, que vai cuidar, promover atividades e zelar por ela. A ideia surgiu como forma de também fazer um bem ao meio ambiente, retirando do lixo esse eletrodoméstico não mais em uso e transformando-o em ponto de leitura acessível a quem tiver interesse”, explicou a gestora, que completou.

“Essa é a primeira entrega, nossa meta é expandir o acesso à leitura e entregar ‘geladeirotecas’ também para moradores de áreas periféricas de pontes, unidades de saúde, praças e outros residenciais, como o Mestre Oscar e o Açucena”.

No São José teve rodada de contação de histórias. Com um pano estendido na grama e os livros escolhidos da geladeira, a contadora Ângela Carvalho apresentou às crianças algumas histórias infantis. Para ela, a novidade é estimulante.

“A importância é mostrar as crianças que leitura também é alegria, divertimento e lazer, a geladeira e o livro são um ponto de partida para outros movimentos, fora até do residencial. Um pai pode fazer isso no ambiente de trabalho, e as crianças serão mobilizadoras de tudo. Dessa forma podemos criar um futuro de leitores”, expressou.

Projeto também tem cunho ambiental, reutilizando geladeiras que iam para o lixo (Foto: Rede Amazônica/Reprodução)

De acordo com a fundação, as pessoas podem escolher, ler e, se quiserem, até levar para casa um livro, com o compromisso de fazer a devolução, para que outros também possam se deliciar com as histórias.

O projeto também está aberto a doações de acervo literário. Quem quiser contribuir, pode fazer a entrega no prédio da Fumcult, localizada na Rua Eliezer Levy, com a Avenida Mendonça Furtado; ou na própria associação de moradores do conjunto São José.

Fonte: G1 Amapá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *