Gestão e trabalho em equipe: CNJ premia TRE-AP com “Selo de Bronze Justiça em Números”

15397746_1882444288708711_1566761930_o

Por conta da eficiência na prestação de serviços à sociedade, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) premiou, nesta segunda-feira (5), o Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) com o “Selo de Bronze Justiça em Números”. O reconhecimento veio pelo fato da Justiça eleitoral do Amapá bater todas as metas e as atividades determinadas pelo CNJ, inclusive superando o percentual nacional de produtividade e celeridade. O prêmio foi comunicado a dezenas de Tribunais durante o 10ª Encontro Nacional do Poder Judiciário, realizado em Brasília (DF).

São considerados tribunais com nível de excelência na gestão da informação aqueles capazes de extrair dados analíticos de todas unidades judiciárias, em sistemas padronizados de acordo com as regras das Tabelas Processuais Unificadas (Resolução nº 46/2007) e nos padrões do Modelo Nacional de Interoperabilidade (MNI) do Conselho Nacional de Justiça.

Presidente do TRE comemora a premiação

O presidente do TRE-AP, que participou do encontro acompanhado do diretor geral do Tribunal, Dr. Veridiano Colares, comemorou o reconhecimento do CNJ e dedicou a conquista ao trabalho dos magistrados, servidores e colaboradores do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá.

“Este é o reconhecimento da qualidade do serviço prestado à sociedade. Quero agradecer o esforço e empenho dos Juízes Membros e Procuradoria Eleitoral, dos servidores da Secretaria Judiciária, da Assessoria dos Juízes, do Controle Interno, serventuários de todos os setores da Justiça Eleitoral”, salientou o presidente do TRE Amapá.

700454db0ef9cc291edb95281d83b13c

Justiça em Números

A Portaria CNJ nº 56 de 27 de maio de 2016 define as novas regras para concessão do Selo Justiça em Números a partir do ano de 2016 e revoga as Portarias CNJ 186 de 17 de outubro de 2013 e 125 de 30 de setembro de 2015.

O Selo Justiça em Números visa ao reconhecimento dos Tribunais que investem na excelência da produção, gestão, organização e disseminação de suas informações administrativas e processuais. Além do requisito básico de encaminhamento adequado das informações constantes no Sistema de Estatística do Poder Judiciário (SIESPJ), com atenção aos prazos de preenchimento e à consistência dos dados, também serão avaliados outros itens, tais como: nível de informatização do Tribunal, uso de relatórios estatísticos para o planejamento estratégico e cumprimento de resoluções do CNJ alinhadas à gestão da informação.

Serviço:

Tribunal Regional Eleitoral do Amapá, com informações da Agência CNJ
Assessoria de Comunicação e Marketing
Elton Tavares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *