Governador Camilo Capiberibe visita reserva extrativista e obra de hidrelétrica em Laranjal do Jari


O governador do Amapá, Camilo Capiberibe, acompanhado de parte do secretariado, visitou nesta quarta-feira, 8, a Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Iratapuru, no município de Laranjal do Jari. Cerca de 250 famílias residem na comunidade, a maioria extrativistas de castanha-do-brasil.
O objetivo da comitiva foi ouvir os moradores da localidade para identificar demandas na área social, no setor de infraestrutura e avançar nas políticas públicas voltadas para a cadeia produtiva da castanha-do-brasil.
O governador também constatou, “in loco”, quais impactos a construção da Hidrelétrica de Santo Antônio causará na RDS. Parte da localidade será inundada com a edificação da barragem. A usina está sendo erguida no Rio Jari, na divisa entre as cidades de Laranjal do Jari, do lado amapaense, e Monte Dourado, no Pará.
Na ocasião, o governador vistoriou as instalações do Estado na RDS e se reuniu com moradores do local. Eles pediram apoio de Camilo Capiberibe para a resolução de problemas de infraestrutura da comunidade nos setores de energia elétrica, água, extrativismo, telefonia e regularização de terras. O governador delegou a resolução das demandas aos gestores presentes na visita e afirmou que cobrará a execução das ações da equipe de governo.
Entre as reivindicações estão ajustes junto à empresa Energia de Portugal S.A. (EDP), que está construindo a Hidrelétrica de Santo Antônio. De acordo com os moradores da reserva, é preciso que a EDP se comprometa em realizar benfeitorias na RDS, por conta dos impactos ambientais e sociais que a instalação da usina acarretará naquela comunidade. Entre os investimentos que devem ser cobrados da empresa estão a construção de uma nova vila, por conta da inundação proveniente da barragem do rio Jari.
“Precisamos desenvolver economicamente essa região e o nosso Estado, explorando sua biodiversidade com responsabilidade sustentável. Tomaremos as medida para resolver os problemas da infreaestrutura da RDS e dialogaremos com a empresa EDP para chegarmos a um acordo sobre as compensações dos impactos na RDS do Iratapuru”, ponderou o governador.
A Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Rio Iratapuru
Área de conservação da biodiversidade no Estado do Amapá, com 806.184 hectares, a RDS do Rio Iratapuru foi criada por meio da Lei Estadual nº 0392, de 11 de dezembro de 1997, no governo de João Alberto Capiberibe.
De acordo com o gerente da Reserva, Mamede Siqueira, a RDS só existe por conta do compromisso ambiental e com o desenvolvimento sustentável das florestas do Amapá do senador João Alberto Capiberibe, que fundou a unidade de conservação quando era governador do Estado.
“Acreditamos que o governador dará continuidade à gestão responsável, que fez da RDS o que ela é hoje, uma grande exportadora de castanha-do-brasil no Amapá. O governo passado não deu a importância necessária à reserva, mas estamos reestruturando o extrativismo local, com o apoio de Camilo Capiberibe.
Apoio à cadeia produtiva
De acordo com a diretora-presidente do Instituto Estadual de Florestas (IEF), Ana Euler, o governo executa um plano de um manejo florestal nas unidades de conservação do Estado. Ele trabalha formas de incentivo ao produtor. Segundo ela, essa medida realizará capacitação técnica dos extrativistas da RDS e outras ações que darão o suporte necessário para os cidadãos trabalharem na floresta, nas cadeias produtivas da castanha-do-brasil.
Segundo o governador, é preciso ações que façam com que o Estado mais preservado do Brasil possua políticas que tragam melhoria da qualidade de vida, geração de emprego e renda e oportunidade para a o cidadão amapaense.
Além da titular do IEF, acompanharam o governador os secretários de Meio Ambiente, Grayton Toledo, e de Indústria e Comércio, Reinaldo Picanço. O chefe de Gabinete Civil, Kelson Vaz, e técnicos do Instituto de Desenvolvimento Rural do Amapá (Rurap) também integraram a comitiva do Governo do Amapá.

Visita à obra da Hidrelétrica de Santo Antônio
Após a visita à RDS de Iratapuru, o governador e sua equipe estiveram na sede do Grupo EDP, onde se reuniram com a diretoria da empresa responsável pela construção Hidrelétrica de Santo Antônio. Em seguida, a comitiva vistoriou o canteiro de obras da usina.
O governador comentou que o empreendimento gera emprego e renda no Estado e trará desenvolvimento ao Amapá e para o Brasil. Entretanto, Camilo Capiberibe enfatizou que o governo defenderá sempre os interesses do povo e irá trabalhar para minimizar os impactos ambientais e sociais na região afetada pela construção da barragem.
“Viemos conhecer a construção da usina, inclusive escutamos a opinião da população sobre a implantação da Hidrelétrica. Somos favoráveis aos empreendimentos que promovam o desenvolvimento, mas discutiremos um arranjo institucional que beneficie a população do Amapá e trabalharemos para combater os impactos ambientais e sociais na região, principalmente RDS do Iratapuru”, frisou o governador Camilo Capiberibe.

Elton Tavares
Assessor de comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *