Governador participa de caminhada em Macapá

Foto: Mácia do Carmo

O governador do Amapá, Camilo Capiberibe, participou, nesta quarta-feira, 18, de uma caminhada pela avenida FAB e rua Cândido Mendes, no centro de Macapá. A passeata foi alusiva ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.


A manifestação, aderida por aproximadamente 250 pessoas, entre servidores do Estado e membros da sociedade civil, foi organizada pela Secretaria de Estado de Inclusão e Mobilização Social (SIMS) e Rede Abraça-me.

O objetivo do ato público foi chamar atenção da sociedade para o crime da exploração sexual de crianças e adolescentes no Estado. A caminhada saiu da frente do Hospital da Criança e do Adolescente (HCA) e seguiu até o Teatro das Bacabeiras. A manifestação foi o primeiro dia de programações alusivas à data, que serão realizadas em toda a capital amapaense.

Para o governador, a caminhada incentiva a denúncia, promove a informação e mobilização da sociedade, que é fundamental para o combate ao abuso e exploração sexual de menores.

“Sabemos que este é um problema grave. Medidas, como essa caminhada, são essenciais, pois mobilizam a sociedade e poder público, além de chamar a atenção do povo para essa prática criminosa. Temos o compromisso de implantar uma coordenadoria dentro da SIMS para combater esses abusos contra nossas crianças e adolescentes e em todas as áreas que forem necessárias”, afirmou o governador.

Rede Abraça-me

A Rede Abraça-me é uma articulação de órgãos que trabalham no atendimento de crianças e adolescentes vítimas de violência sexual no Amapá. O objetivo da rede é aperfeiçoar e fazer cumprir procedimentos e ações conjuntas de prevenção e integração dos setores, profissionais e serviços.

Ela é composta por instituições estaduais como Centro de Referência e Atendimento à Mulher (Cram), Centro de Atendimento à Mulher e à Família (Camuf), Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), SIMS, além de órgãos municipais e iniciativa privada.

A escolha da data

O dia 18 de maio foi escolhido para combater o crime por conta do assassinato que comoveu o Brasil, ocorrido na cidade de Vitória (ES), em 1973. Naquele ano, a menina Araceli Cabrera Crespo, de oito anos, foi espancada, violentada e morta. Até hoje, os culpados pelo crime não foram punidos.

Elton Tavares
Assessor de Comunicação Social
Secretaria de Estado da Comunicação Social
Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*