Governo do Amapá garante R$ 7,5 milhões para fortalecer assistência em saúde de pacientes com câncer e ostomizados

Para fortalecer a saúde pública do Amapá, o governador Clécio Luís anunciou na sexta-feira, 8, no Palácio do Setentrião, o investimento de R$ 7,5 milhões, para assistência aos pacientes com câncer e ostomizados do estado.

Entre as áreas de destinação do investimento estão, a compra de medicamentos oncológicos, auxílio no tratamento de câncer de mama, com fisioterapia e reconstrução de mamas para pacientes mastectomizadas; e o tratamento de ostomizados, para a aquisição de melhores bolsas de colostomia e de veículos. Os recursos foram adquiridos por emenda do senador Randolfe Rodrigues.

“Nós estamos muito gratos por podermos reforçar ainda mais essa área que é tão importante e a recuperação da saúde do paciente. Estamos vivendo um tempo de recuperação da credibilidade da saúde pública do Amapá, por meio de uma série de investimentos, como a construção do 1º Centro de Radioterapia do estado, onde o prédio deve ser entregue no segundo semestre deste ano”, destacou o governador Clécio Luís.

O investimento integra um pacote de medidas e ações políticas para garantir a reestruturação da saúde pública, uma das prioridades do Estado, que vem sendo desenvolvida desde 2023, como a melhoria do Hospital de Emergência (HE) e atualmente as reformas das unidades de referência, como a reforma do Hospital da Mulher Mãe Luzia, em Macapá.

“Esses investimentos garantem a universalidade, de gratuidade, do acesso à saúde para todos, garante dignidade e é por isso que todo recurso para saúde é investimento, não é gasto. É o Estado atendendo reivindicação de usuários e garantindo dignidade e mobilidade para as pessoas pelo Amapá inteiro”, comentou o senador Randolfe Rodrigues.

Medicamentos

A secretária de Saúde, Silvana Vedovelli, ressaltou que o estoque de medicamentos previstos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) passou a estar abastecido desde o ano passado, e que a compra de novos itens permite um planejamento a longo prazo dessa oferta.

“Nós conseguimos restabelecer os medicamentos dentro da Unacon, mas é uma busca diária para manter o estoque. O recurso é extremamente importante para a efetividade da licitação que garante assistência aos pacientes. Temos melhorado a humanização do serviço, mas precisamos melhorar ainda mais. Isso tem sido feito, num trabalho dia a dia”, evidenciou a secretária de saúde do Estado.

Câncer de mama

Em parceria com o projeto “Reabilita +”, do curso de fisioterapia da Universidade Federal do Amapá (Unifap), a Secretaria de Saúde investirá no tratamento de mulheres diagnosticadas com câncer de mama que se submeteram à mastectomia.

Grande parte de pacientes mastectomizadas apresentam disfunções de ombro e membros superiores com dificuldades para realizar atividades comuns do dia a dia, como abotoar a camisa, trocar uma peça de roupa, dentre outras atividades. O investimento do Estado apoiará atendimentos com fisioterapia e outros profissionais, para devolver a capacidade de realização de atividades.

“Os recursos garantem a realização de cirurgias e oferta de medicamentos para um tratamento com maior chance de cura. Fico muito feliz com o anúncio porque ele salva vidas. Esses medicamentos vão mudar as vidas, e por isso precisamos que os projetos sejam consolidados”, pontuou o presidente da Associação Médica do Brasil no Amapá, Mauro Secco.

Por meio da Unacon, o paciente será encaminhado ao programa, após triagem especializada, identificando os tratamentos adequados para cada pessoa.

Ostomizados

Reivindicação da Associação dos Ostomizados do Amapá (AOAP), bem como da Associação Médica do Amapá (AMB-AP), o recurso também vai aprimorar o atendimento de pessoas com ostomia e incontinência.

“É muito importante para quem precisa de uma assistência e depende da saúde pública. Estamos muito felizes, principalmente para comprar bolsas de colostomia de qualidade”, opinou Luís Nei Banha, vice-presidente da Associação dos Ostomizados do Amapá.

Conforme a AOAP, são 800 pacientes residentes no Amapá que precisam de apoio do Estado. Entre eles há casos de possibilidade de reversão, por isso o recurso permitirá a realização de um mutirão de cirurgias de ostomia. Os recursos deverão também ser aplicados para a compra de materiais, como bolsas e acessórios, e mais uma série de serviços voltados aos pacientes ostomizados e incontinentes.

Texto: Fabiana Figueiredo
Foto: Max Renê/GEA
Secretaria de Estado da Comunicação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *