Governo do Amapá promove escuta pública da Política Nacional Aldir Blanc, em Macapá

O Governo do Amapá realizou na sexta-feira, 24, a última rodada de escuta pública da Política Nacional Aldir Blanc (PNAB), no auditório do Museu Sacaca, em Macapá. A ação reuniu mais de 200 participantes, entre profissionais da cultura, artistas e sociedade civil.

Promovido pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult), o evento teve como objetivo enaltecer o debate democrático sobre fomentos, obras, reformas e aquisições de bens, além do subsídio e manutenção de espaços e organizações culturais.

Para a secretária de Estado da Cultura em exercício, Marina Beckman, o mecanismo pretende atender e entender as demandas de cada território cultural do Amapá, e assim, definir aplicações concisas de recursos da PNAB, que somam mais de R$ 16 milhões.

“Este momento é fundamental para a construção do plano de aplicação de recursos e dos investimentos, que serão realizados em editais, ações e programas culturais, buscando atender de forma precisa as necessidades e aspirações do setor cultural amapaense”, ressaltou Marina. A participação dos fazedores de cultura em escutas públicas é importante para a efetivação da PNAB no estado, pois os recursos e ações serão pautados, inicialmente, para os próximos 5 anos, sendo necessária a estruturação de projetos municipais e estaduais.

A programação contou com a participação de equipes do Ministério da Cultura do Amapá, dos conselhos estadual e municipal e organizações. A presidente do Fórum Popular de Cultura do Estado, Mapige Gemaque, abordou a importância da escuta pública.

“É um momento importante para todos os fazedores de cultura do Amapá, pois é possível dialogar sobre os direcionamentos e investimentos dos recursos dentro de cada município, respeitando a diversidade e as especificidades culturais”, afirmou Mapige.

Política Nacional Aldir Blanc

A PNAB é uma oportunidade histórica de estruturar o sistema federativo de financiamento à cultura, mediante os repasses da União aos estados, Distrito Federal e municípios de forma contínua.

Por meio dessa política, será possível investir regularmente em projetos e programas. A partir da PNAD, os entes federativos irão implementar ações públicas em editais e chamamentos abertos para os trabalhadores da cultura, além de realizar políticas locais de maneira direta.

Texto: Amelline de Queiroz e Paula Morazza
Foto: Jhon Martins/GEA
Secretaria de Estado da Comunicação – SECOM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *