História da música do Amapá será contada em série documental de cinco episódios

Marabaixo será um dos ritmos abordados na série — Foto: Márcia do Carmo/Confraria Tucuju

Por Victor Vidigal

A história da música popular do Amapá vai virar filme. É isso que planeja uma série documental de cinco episódios que está sendo produzida pelo Núcleo de Produção Digital Equinócio (NPD), com previsão de lançamento no aniversário de 262 anos de Macapá, em fevereiro de 2020.

Cada episódio terá duração de 26 minutos e contará histórias dos bastidores da cena musical amapaense, abordando grupos, movimentos e ritmos que fizeram história no estado. Mestre Oscar, grupo Mocambo, Pilão, Movimento Costa Norte, rock, marabaixo, batuque , zimba, zouk love, merengue e cacicó são alguns dos temas que a série irá documentar nos capítulos.

Ana Vidigal, coordenadora do NPD em Macapá — Foto: Jéssica Alves/Arquivo G1

De acordo com Ana Vidigal, gestora do NPD, a ideia partiu da vontade em deixar registrada uma parte importante da memória do Amapá.

“É um anseio que a gente vinha pensando há algum tempo, por entender que é muito importante o NPD promover o resgate da memória do estado e com isso contribuir com esse acervo. Escolhemos a música por ser uma das mais importantes representações culturais do “, explicou.

A produção ainda está em fase de pesquisa, colhendo depoimentos para a construção do roteiro. Os músicos Osmar Júnior e Fernando Canto participam como consultores, na intenção de passar o máximo de veracidade possível às histórias.

Escritor e músico Fernando Canto será um dos consultores da série — Foto: Rita Torrinha/G1

“Tudo que for feito pela música amapaense para fazer com que ela viva brasileiramente é muito bom. E esse projeto vem ao encontro disso, fazer com que a música amapaense seja ouvida pela grande maioria desse país”, opinou Canto.

Na elaboração da narrativa dos episódios serão usadas imagens de arquivo, depoimentos e reconstituição de momentos históricos. As gravações estão previstas para iniciarem em junho deste ano.

Fonte: G1 Amapá


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *