Hocus Pocus!

                                                                                      Por Régis Sanches

Hocus Pocus é o nome de um encantamento utilizado por mágicos do século XVII com a função de criar um ar de mistério em suas performances. “Hocus pocus, tontus talontus, vade celerita jubes” é a expressão usada na invocação original.

Tenho absoluta certeza que o presidente Lula da Silva é um mestre na arte de evocar o Hocus Pocus. Senão vejamos: ele sacou da cartola a candidata Dilma Rousseff, neófita do PT e obscura liderança política, e a fez a sua virtual sucessora.

Qual é o mantra repetido à exaustão por Lula? Vote na Dilma que você vota no Lula. Qual o mote eleitoral de Dilma? Ela é a responsável pela Bolsa Família e pelo PAC, e também descobriu o petróleo na camada do pré-sal oceânico. Lula é o pai; Dilma é a mãe de um povo que carimba o governo com impressionantes 80% de aprovação.

O prestidigitador

Pelos poderes do Hocus Pocus invocado por Lula, Dilma Roussef iniciou a corrida presidencial com insignificantes índices na preferência do eleitorado. Mas chegou à reta final com reais possibilidades de liquidar a fatura já no primeiro turno.

A candidata, que muitos, especialmente no Nordeste, chamam de “a mulher do Lula”, descascou alguns abacaxis durante a campanha. A começar pelo fato de que, sem Lula a tiracolo, ela não consegue se expressar como o seu criador, estabelecendo um amálgama com o eleitorado.

Como hábil prestidigitador, Lula ajudou a demolir todas as pedras colocadas no caminho pavimentado para Dilma rumo ao Planalto. Não foram poucas: dossiês e quebra de sigilos fiscais do alto tucanato atribuídos ao PT; o escândalo de Erenice Guerra na Casa Civil.

Os abacaxis mais difíceis de descascar surgiram na última semana que antecede as eleições. As polêmicas declarações atribuídas à Dilma por seus adversários. A de que ela apóia a legalização do aborto; e a mais espinhosa: de que ela teria dito que nem Jesus Cristo tiraria a sua vitória no primeiro turno.

O truque

Lula ensinou a Dilma um truque precioso. Não assumir nenhuma das acusações. Tal qual seu mestre, a pupila nunca sabe de nada, e todas as denúncias serão apuradas e os culpados punidos. Foi assim com Lula nos episódios do mensalão e dos aloprados do PT. Aconteceu com Dilma em todos os sapos que ela teve que engolir.

A origem do termo Hocus Pocus permanece obscura. Alguns acreditam que deriva da forma latina empregada na eucaristia católica romana, quando o sacerdote diz “hoc est corpus” (este é o corpo).

Há a teoria de que o “Hocus Pocus” teria se originado a partir do nome de um lendário mago italiano – Ochus Bochus. De qualquer maneira, o “Hocus Pocus” deixou seus vestígios na língua inglesa – a expressão passou a significar, no sentido mais amplo, truque ou fraude. Talvez seja a raiz de outra palavra – hoax – que significa impostura. Hocus Pocus, Mr. Lula.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *