Hoje é o Dia do Radialista


Hoje (7), é o Dia do Radialista. Durante anos, a data foi comemorada no dia 21 de setembro (porque em 21 de setembro de 1906, aconteceu a primeira transmissão radiofônica no mundo, pelo canadense Reginald Dennis). Mas, a LEI 11.327 de 24/07/06, sancionada pelo presidente Luis Inácio Lula da Silva, alterou a data de comemoração oficial da categoria passando para o dia 07 de novembro, em homenagem ao músico e radialista Ary Barroso (que se estivesse vivo, hoje completaria 110 anos), um dos grandes nomes do rádio brasileiro.

Com a mudança, os radialistas passaram a ter duas datas para comemorar, além do Dia do Rádio, comemorado tradicionalmente em 25 de setembro. O dia 21 de setembro, então, virou uma data simbólica, nada mais que isso. O Dia do Radialista deve ser comemorado oficialmente no dia 07 de novembro.

O conceito deste tipo de profissional diz que ele é habilitado para trabalhar com diversos nichos dentro de uma produção radiofônica. Essa modalidade de comunicação não é para qualquer um. O radialista faz  locução, apresentação, sonoplastia, produção de programas, direção e outras atividades. É preciso ter talento e responsabilidade, além de boa voz, claro! 

Quem tem mais de 35 anos sabe como era divertido escutar o programa dos saudosos “Pai Véio e Pai D’Égua” (Osmar Melo e Herminio Gurgel). Bons tempos!

Conheço e respeito muitos radialistas. Meu falecido amigo, Leonai Garcia, era doido pra me levar para o rádio. Nunca topei, gosto mesmo é de escrever. Há uns dois anos, o renomado jornalista Humberto Moreira me perguntou se eu não queria fazer uma experiência. Um dia, quem sabe. É que gosto mesmo é de escrever. 

Claro que as ondas do rádio, como outras redações e profissões possuem seus canalhas. Com os radialistas não é diferente. Ainda bem que a coisa ta mudando e já sabemos quem é quem. Mas não vou perder tempo citando esses crápulas num texto para parabenizar a classe. 

Portanto, hoje parabenizo os amigos Jack Carvalho, Fernando Canto, José Menezes, Humberto Moreira, Domiciano Gomes, John Scott, Rudnei Santos (preto velho da Amazônia), Chico Terra, Armstrong Souza, Abinoan Santiago, Washington Vieira, Aline Kayser, Waldo Sales, Rodolfo Santos, Ana Girlene, Ilziane Laune, Ranolfo Gato, Clay Sam, Ziulanda Melo, Leiliane Lima, Cliver Campos, Aline Kaiser, Graziela Miranda, Márcia Fonseca, Carol Chaves, Wilker Martins, Silvana Guimarães e Rodrigo Juarez. Também aos radialistas que não são tão próximos, mas que admiro o trabalho, como Paulo Silva, Elden Carlos e Miltão Trindade. 

Elton Tavares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *