Hoje é o Dia Internacional do Enfermeiro – Meu reconhecimento e agradecimento

Como este site possui uma sessão chamada “datas curiosas” e hoje, 12 de maio, é o Dia do Internacional do Enfermeiro, claro que não deixamos passar a data batida. Afinal, o mundo todo está devendo suas vidas ao trabalho de médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem, entre outros diversos profissionais que estão na linha de frente no combate, prevenção e tratamento da pandemia que assola o planeta e a raça humana há mais de um ano.

O Dia do Internacional do Enfermeiro é celebrado no décimo segundo dia de maio por conta do nascimento de Florence Nightingale, em 1820. Ela foi uma enfermeira britânica que ficou famosa por ser pioneira no tratamento a feridos de guerra, durante a Guerra da Crimeia, em 1853.

Florence Nightingale foi considerada “mãe” da enfermagem moderna. No Brasil, a data já era comemorada desde 1.938, quando o presidente Getúlio Vargas assinou o decreto 2.956.

O ofício de enfermeiro é milenar. A profissão é nobre, pois eles cuidam de doentes, idosos e deficientes. Alguns enfermeiros são insensíveis, parecem não se importar com a dor ou desespero alheio. Deve ser por conta do drama dos outros fazer parte do cotidiano destes profissionais.

Só quem sabe a barra que é trabalhar em um hospital pode definir a pressão. Mas a maioria são profissionais comprometidos com a saúde e o bem-estar do ser humano.

Lembro muito do Sr. Izídio Bandeira, enfermeiro competente, cuidadoso e experiente, que sempre nos remendava ou nos aplicava injeções. Eu e Emerson (meu irmão) tínhamos pavor dele. Hoje em dia, sou grato pelo cuidado que aquele senhor teve conosco quando éramos crianças.

Desde o início dessa crise em que vivemos, enfermeiros lutam com todas as forças para salvar vidas. Não tem como fugir do clichê, pois são, de fato, heróis. Muitos deles foram infectados com a Covid-19 em todo o mundo. Além de correr o disco diário, estes valorosos profissionais ainda se privam do contato com suas famílias, de tanta exposição ao vírus.

Sem equipamentos adequados, trabalhando em unidades de saúde lotadas e com falta de medicamentos, o que médicos e enfermeiros tem feito são verdadeiros milagres. Mesmo com todo o estresse, apreensão, incerteza e medo, entre outras dificuldades impostas pela pandemia do coronavírus.

Curiosamente, nunca escrevi uma texto sobre o Dia do Médico, 18 de outubro, mas isso não se repetirá.

Em muitas ocasiões, os enfermeiros são injustiçados, mas devemos muito a eles. Sempre foi assim e essa dívida aumentou astronomicamente em 2020 e 2021. Enfim, por tudo dito/escrito acima e pela bravura e doação dessas pessoas especiais, parabenizo e agradeço, em nome dos enfermeiros, todos os profissionais se dedicam a cuidar e tratar, que lutam diariamente pela saúde das pessoas, que fizeram de suas vidas instrumentos de solidariedade!

Meus parabéns, enfermeiros e enfermeiras do Amapá, Brasil e mundo. Gratidão define. Valeu demais!

Elton Tavares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *